quarta-feira, 12 de Dezembro de 2012 05:46h Paulo Reis

Centro-Oeste Mineiro registra aumento de 15% ao ano na abertura de empresas

O índice é apontado pela Junta Comercial de Minas Gerais – Jucemg

O Centro-Oeste de Minas é uma das regiões do estado que mais se destaca na abertura de empresas, com um índice de formalização de empreendimentos que cresce de 10% a 15% por ano. A informação foi dada por Alex Barbosa, diretor de Gestão da Informação e Modernização da Junta Comercial de Minas – Jucemg, que aponta esse desempenho às facilidades proporcionadas pelo Minas Fácil, serviço do Governo do Estado que tem por objetivo agilizar e diminuir a burocracia para o processo de abertura de empresas, o que colabora diretamente para redução da informalidade. Segundo Alex Barbosa a simplificação dos processos garante aos empresários a melhoria do ambiente de negócios, ganhando em eficiência e competitividade, importantes fatores para que o Estado continue crescendo e atraindo investimentos, principalmente gerando empregos de qualidade.
O Programa Minas Fácil começou a ser implantado na região há cinco anos. Nesse intervalo foram formalizados quase 30 mil novos empreendimentos nas unidades do serviço localizadas em sete cidades da região: Arcos, Bom Despacho, Divinópolis, Formiga, Lagoa da Prata, Nova Serrana e Piumhí. Na maioria dos municípios, o comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios foi o segmento que mais abriu empresas desde junho de 2008 até abril de 2012.



Aspecto Financeiro

 

Divinópolis tem sido um exemplo de como o programa tem causado impacto na economia dos municípios. Um dos segmentos que ganhou com o Minas Fácil é o de vestuários e acessórios que, segundo o Sindicato das Indústrias do setor, gera cerca de 18 mil empregos diretos e indiretos e  movimenta R$400 milhões por ano, na cidade. Os dados da Jucemg mostram que no município, só em maio deste ano, foram formalizadas 263 novas empresas. E, desde que foi inaugurada em junho de 2008, a unidade do Minas Fácil registrou a abertura de mais de 12 mil novos empreendimentos, a maioria no setor de confecções.
Muitos empresários apontam que ficam surpresos com a agilidade do processo para a formalização dos negócios apoiados pelo programa. O diretor de Gestão da Informação e Modernização da Jucemg esclarece que o tempo médio para a abertura de um empreendimento por meio do Minas Fácil é de 8 a 9 dias, e que para garantir que este prazo seja cumprido a Jucemg faz um monitoriamento mensal nas unidades de todo o Estado.
Para David Maia D`Oliveira,  Secretário de Planejamento de Divinópolis, o Minas Fácil promove o desenvolvimento econômico do município na medida em que incentiva o empreendedorismo e a geração de empregos por meio de um serviço simplificado e ágil. Além disso, de acordo com o secretário, o banco de dados gerado pelo Minas Fácil é uma importante fonte de consulta para o poder público municipal de Divinópolis.
David D`Oliveira ressalta: “Nossa cidade é uma terra de empreendedores e conta com uma economia extremamente diversificada. Acredito que a modernização da gestão pública é o único caminho para a melhoria da qualidade de vida das famílias mineiras”.


Como surgiu

 

O Minas Fácil foi criado em 2004, e é gerenciado pela Jucemg que conta atualmente com 91 pontos de atendimento em todo Estado. O serviço estabelece a interligação dos principais órgãos públicos envolvidos na abertura de empresas: Receita Federal do Brasil, Secretaria de Estado da Fazenda, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros Militar e prefeituras municipais.
Isso evita a procura do empreendedor por diversos locais para dar seguimento ao processo de formalização do negócio. “Esta iniciativa reduziu comprovadamente o tempo de abertura de empresas e, por isso, o Minas Fácil foi destaque em relatório do Banco Mundial, que revelou Minas Gerais como o Estado com o menor tempo médio de constituição de empresas no País, com prazo de 9 dias”, afirmou o diretor de Gestão da Informação e Modernização da Jucemg.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.