segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2011 00:00h

Cetebio conclui processo de validação do Banco Piloto de Pele

O Centro de Tecidos Biológicos (Cetebio) concluiu a validação técnica de seu primeiro banco piloto de tecidos biológicos, o Banco de Pele. Em implantação pela Fundação Hemominas, o Cetebio será o maior centro público integrado de tecidos biológicos da América Latina.

Será composto por um Banco de Pele, um Banco de Sangues Raros, um Banco de Tecidos Musculoesqueléticos, um Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário, um Banco de Medula Óssea e um Banco de Válvulas Cardíacos.

O Banco Piloto de Pele (BP), o primeiro a ser validado, tem como objetivo retirar, processar, armazenar e disponibilizar para distribuição pele alógena, atendendo aos requisitos das normas vigentes.

O objetivo da validação é verificar se a garantia da qualidade será atingida quando da execução das atividades de coleta, processamento, armazenamento e embalagem final estabelecidas na metodologia.

A meta a ser obtida nesse processo é de 95% de resultados positivos, ou seja, todas as atividades realizadas devem chegar a esse nível de acerto, sendo que as amostras têm que ter 100% de viabilidade.

O banco piloto iniciou suas atividades em setembro de 2010, na Unidade de Queimados do Hospital João XXIII, da Rede Fhemig, em Belo Horizonte. Foram tratadas amostras coletadas em três doadores de órgãos, captadas pelo MG Transplantes e realizadas no bloco cirúrgico desse hospital.

 A coleta foi realizada pelo médico especialista em Cirurgia Plástica da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Leandro Costa Gontijo, e integrada por equipe do Cetebio formada por Flávia Melo, Paula Passos, André Belisário, Roberta Kelly de Andrade e Daniela Balbina Marra.

O Cetebio já concluiu a validação do banco piloto de pele, com aprovação do relatório técnico. Os resultados obtidos na validação foram 100% positivos. O banco vai atender pacientes com queimaduras de alto grau e outros traumas.

A aprovação do Relatório de Validação da Técnica de Processamento do Banco de Pele do Cetebio/MG foi publicada na edição do Diário Oficial do Estado desse sábado, 26 de fevereiro. O relatório descreve e aprova a validação da metodologia de processamento de tecido cutâneo, conferindo qualidade e rastreabilidade aos tecidos produzidos.

O processo foi aprovado em conformidade com os critérios estabelecidos na legislação nacional e normatizações internacionais, no âmbito da Fundação Hemominas.

Os próximos passos para efetivação do Banco de Pele são a adequação de área física própria, por meio da cessão de local no Centro de Especialidades Médicas, em parceria com o Ipsemg, e a formalização do protocolo de pedido de autorização para funcionamento junto às autoridades sanitárias e Ministério da Saúde.

A meta é que o funcionamento do Banco de Pele seja autorizado até final de abril próximo.

O Cetebio vai atuar na captação, seleção, coleta, processamento, armazenamento e distribuição de tecidos e materiais biológicos seguros e de alta qualidade técnica, retirados de doadores vivos e doadores com coração parado, destinados aos hospitais credenciados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Isso significa que a população usuária do SUS receberá uma oferta de produtos capazes de atuar na prevenção e cura de doenças graves, bem como facilitar a realização de transplantes de órgãos e tratamentos hemoterápicos.

Até 2013, todos os seis bancos do Cetebio deverão estar validados e autorizados para funcionamento. Ainda em 2011, será iniciada a validação de mais três unidades do Cetebio: o Banco Piloto de Tecidos Musculoesqueléticos (BTME); o Banco Piloto de Sangues Raros (BSR), e o Banco Piloto de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário (BSCUP). Os outros dois bancos – de Medula Óssea (BMO) e de Válvulas Cardíacas (BVC) – serão validados no próximo ano.

Fonte : Agencia Minas

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.