quinta-feira, 17 de Março de 2011 00:00h

Cidade Administrativa forma a primeira turma da Brigada de Incêndio

A primeira turma de brigadistas da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves se forma nesta sexta-feira (18), às 9h30, no auditório Juscelino Kubitschek. A turma, composta por 250 pessoas, já passou por um curso de 20 horas, que inclui aulas teóricas e práticas de primeiros socorros e prevenção e combate a princípios de incêndio.

E este conhecimento já foi usado pelo servidor da Prodemge, Flávio Nery, que poucas semanas após fazer o treinamento, teve a chance de colocar em prática um procedimento simples, que evitou sequelas para Augusto Tadeu Fernandes da Cunha. A desobstrução das vias aéreas, técnica usada e aprendida na aula de primeiros socorros, evitou possíveis danos cerebrais a Augusto. O salvamento ocorreu dentro do ônibus que liga a Cidade Administrativa ao Centro de Belo Horizonte.

O treinamento da Brigada de Incêndio teve início em fevereiro e prossegue até junho, quando 1.600 servidores estaduais formarão uma das maiores brigadas do país. O curso é oferecido pela Intendência da Cidade Administrativa e realizado pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG).

As aulas teóricas de combate a incêndio e a teórica e a prática de primeiros socorros estão sendo realizadas as segundas, terças e quartas-feiras na Cidade Administrativa. Já as aulas práticas de combate a incêndio estão sendo realizadas em um campo de treinamento em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), às quintas e sextas-feiras.

A função dos brigadistas é atuar na prevenção de incêndios, evitar o pânico, retirar as pessoas da área, dar o primeiro combate a incêndios e especialmente preservar a vida até que o socorro médico e os bombeiros cheguem ao local. Todos os brigadistas são voluntários.

A formação da Brigada da Cidade Administrativa está de acordo com a legislação de segurança contra incêndio e pânico nas edificações do Estado de Minas Gerais. O número de brigadistas deve ser proporcional ao número de pessoas que habitam, ou trabalham em determinado prédio. Entre outros critérios, que definem a exigência da Brigada, estão: área construída, risco a proteger e número de pessoas.

Fonte : Agenica Minas 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.