quinta-feira, 2 de Julho de 2015 13:46h

Codevasf apresenta ações de revitalização da bacia do São Francisco em comissão da Câmara

As ações da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf)

As ações da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) voltadas à revitalização da bacia hidrográfica do rio São Francisco foram apresentadas nesta terça-feira (30) à comissão externa da Câmara dos Deputados que acompanha a execução das obras de integração desse rio com as bacias do Nordeste Setentrional. A apresentação foi conduzida pelo diretor da Área de Revitalização da Companhia, Eduardo Motta.

O diretor da Codevasf expôs aos parlamentares o trabalho da empresa e destacou, entre outros temas, a necessidade de que haja a promoção de projetos de economia sustentável em paralelo aos de recuperação hidroambiental. “O homem que vive na bacia do rio São Francisco também precisa ser revitalizado, para que não haja caça, pesca predatória, desmatamento para produção de carvão”, disse. Entre as ações da Codevasf que promovem economia sustentável estão as de apoio à apicultura, à piscicultura, à agricultura familiar e à ovinocaprinocultura.

Durante a audiência, Motta entregou ao presidente da comissão, deputado Raimundo Gomes de Matos, um exemplar do Plano Nascente. Esse trabalho foi elaborado pela Codevasf com o propósito de guiar ações de recuperação de dez mil nascentes situadas na bacia do São Francisco. “Desse conjunto de nascentes, mil já foram recuperadas e há recursos empenhados para a recuperação de outras mil”, explicou.

O diretor da Codevasf também relacionou aos parlamentares os investimentos realizados pela empresa em ações de revitalização da bacia do rio São Francisco entre os anos de 2007 e 2015. Em esgotamento sanitário, foram investidos R$ 1,59 bilhão em 133 projetos localizados nos estados de Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe. Em gestão de resíduos sólidos, foram R$ 29,65 milhões em sete projetos. Em sistemas de abastecimento de água, R$ 397,51 milhões em 528 projetos. Em economia sustentável, R$ 110,41 milhões em 27 ações. Em gestão de processos erosivos, R$ 203,66 milhões em 72 projetos. Os empreendimentos somam cerca de R$ 2,398 bilhões.

“Foi de suma importância publicizarmos e termos conhecimento de todas as ações que a Codevasf vem realizando no eixo de transposição do rio São Francisco. É necessário, para os parlamentares, ter todo esse conhecimento do que já vem sendo executado e do que é necessário executar a fim de que possamos, por meio das articulações aqui na casa e nos estados, fortalecer o pacto federativo”, avaliou o deputado Raimundo Gomes de Matos.

Projeto de Integração

A comissão externa da Câmara dos Deputados que acompanha as obras do Projeto de Integração do rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF) foi criada pelo Plenário da Câmara dos Deputados em 12 de fevereiro deste ano para acompanhar todos os atos, fatos relevantes, normas e procedimentos relacionados às obras. A comissão também tem o objetivo de acompanhar e avaliar o andamento do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do rio São Francisco, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA).

O PISF, cujas obras são executadas pelo Ministério da Integração Nacional (MI), visa a proporcionar segurança hídrica a 12 milhões de pessoas em 390 municípios dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. As bacias beneficiadas pela água do São Francisco serão: Brígida, Terra Nova, Pajeú, Moxotó e bacias do Agreste, em Pernambuco; Jaguaribe e Metropolitanas, no Ceará; Apodi e Piranhas-Açu, no Rio Grande do Norte; e Paraíba e Piranhas, na Paraíba.

O empreendimento terá extensão de 477 km e está dividido em dois Eixos de transferência de água – o Norte e o Leste. As obras contemplam a construção de 4 túneis, 14 aquedutos, 9 estações de bombeamento e 27 reservatórios. O empreendimento garantirá a abastecimento a grandes centros urbanos da região (Fortaleza, Juazeiro do Norte, Crato, Mossoró, Campina Grande e Caruaru), assim como a centenas de pequenas e médias cidades. A Codevasf será a operadora do PISF.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.