quarta-feira, 1 de Julho de 2015 14:01h

CONCURSO DO QUEIJO MINAS ARTESANAL PREMIA MELHORES PRODUTORES DO ESTADO

8º Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal abrange a produção de sete regiões: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro

Uma delícia de Minas que atravessou séculos e conquistou os mais diversos paladares. O Queijo Minas Artesanal é referência não só no Estado, mas em todo o Brasil porque reúne tradição e cultura. E os melhores queijos de Minas estão presentes na próxima sexta-feira (3/7), no 8º Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Participam 31 queijos de sete regiões: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro. Serão anunciados os cinco primeiros colocados no Concurso.

O evento é realizado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG), em parceria com a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando. O Concurso integra a programação da Megaleite 2015, considerada a maior feira de pecuária leiteira do Brasil.

Todos os  produtores participantes  recebem assistência técnica da Emater-MG, são cadastrados junto ao IMA e selecionados nas etapas regionais do concurso. Os queijos serão avaliados por uma comissão julgadora, formada por profissionais experientes, estudiosos da produção queijeira e por profissionais dos serviços de inspeção. Também participam outros técnicos, pesquisadores, professores universitários e profissionais da área de gastronomia.

“Os jurados avaliam diversos fatores para definir os vencedores. Os queijos são servidos para os jurados, primeiramente, à degustação em pequenos cortes, fazendo com que iniciem o julgamento pelo paladar e olfato, também podendo ser observado sua consistência e textura, enquanto fracionado. Depois os queijos vão para a mesa principal para apreciação dos quesitos de formato, acabamento e cor. Os julgadores avaliam os queijos à cega, ou seja, não há identificação por região ou produtor, apenas um código de conhecimento da comissão organizadora”, explica a coordenadora Técnica Estadual de Agroindústria da Emater-MG, Marinalva Soares.

O que é o Queijo Minas Artesanal

O Queijo Minas Artesanal mantém as características de produção artesanal, a partir de mão de obra familiar, com produção em baixa escala e utilização de leite cru (não é permitido leite pasteurizado). Além de valorizar a identidade sociocultural do Estado, a atividade é a principal fonte de renda para cerca de 30 mil pequenos produtores, em aproximadamente 600 municípios mineiros. “O Queijo Minas Artesanal é apreciado graças ao conhecimento passado entre gerações e às suas características peculiares. O modo artesanal da fabricação foi, inclusive, registrado como patrimônio cultural imaterial brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional”, destaca Marinalva Soares.

O reconhecimento das regiões é respaldado por estudos que avaliam o processo de fabricação e as características peculiares do local de origem, como a história, a economia, a cultura e o clima, entre outros. O Queijo Artesanal sobreviveu às pressões da modernização dos processos de produção pelo apego às tradições e, também, pelo isolamento das propriedades produtoras, espalhadas pelas colinas e pelos vales do Estado. “Isso contribuiu para que se preservassem produtos com características próprias e de imenso valor cultural e econômico. Para preservar essa tradição e garantir a qualidade do Queijo, existem leis e normas que regulamentam a produção. O Queijo Minas Artesanal possui importância econômica, social e cultural muito significante para os municípios incluídos”, explica a coordenadora.

Programa Queijo Minas Artesanal

O Programa Queijo Minas Artesanal, executado pela Emater–MG, orienta os produtores em boas práticas de fabricação, para garantir a segurança alimentar e facilitar o cadastramento das queijarias no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). O programa atua na organização dos produtores, padronização de produtos, melhoria de embalagens, qualificação dos produtores e técnicos, comercialização e melhoria da qualidade dos produtos.

“Desde 2002 existe a rede do Queijo Minas Artesanal, uma equipe exclusiva para atendimento e capacitação aos extensionistas e agricultores familiares, indicando boas práticas e orientações quanto à higiene na ordenha e sanidade do rebanho. O Programa assegura, principalmente aos pequenos produtores de leite, uma alternativa para a comercialização do Queijo, com maior valor agregado. São ações que geram mais emprego e melhoria de qualidade de vida das famílias envolvidas”, ressalta o presidente da Emater–MG, Amarildo Kalil.

Queijo conquista o Brasil

Desde 2002, com a criação de uma Lei Estadual (14.185/02,) houve a preservação das características tradicionais do processamento, estabelecendo critérios para a elaboração do Queijo Minas Artesanal a partir do leite cru. Foi garantida a legalidade e a comercialização em mercados formais de Minas Gerais. Em 2012, com uma nova Lei Estadual (20.549/12.), o queijo maturado passou a ser o único reconhecido como Queijo Minas Artesanal pela legislação.

Até agosto de 2013 o produto, apesar de tanta importância cultural e econômica para o Estado, ficava restrito às fronteiras mineiras. Um acordo inédito entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e os serviços de inspeção sanitária de Minas, permitiu que o IMA passasse a expedir para o Queijo Minas Artesanal o documento que legaliza sua comercialização para todos os estados brasileiros. A autorização é equivalente ao Sistema Brasileiro de Inspeção do Mapa (SISBI). Uma portaria, assinada pelo atual vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade, enquanto desempenhava o cargo de ministro da Agricultura, permitiu que o Queijo Minas Artesanal fosse das queijarias regularizadas diretamente para mesa de consumidores de todo Brasil.


SERVIÇO
8º CONCURSO ESTADUAL DO QUEIJO MINAS ARTESANAL- UBERABA
Data: 3 de julho de 2015 (sexta-feira)
Horário: 13 horas – Início do Julgamento
            16h30 – Premiação dos Vencedores
Local: Estande do Governo de Minas na MEGALEITE 2015
Parque Fernando Costa (Praça Vicentino Rodrigues da Cunha, 110)
           Uberaba – Minas Gerais

Fotos:
Queijo Minas Artesanal / Crédito: Laura Cota
Julgamento do Concurso Queijo Minas Artesanal 2014 / Crédito: Divulgação Emater-MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.