terça-feira, 29 de Outubro de 2013 10:10h

Concurso Estadual de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais já tem relação de finalistas

Primeira etapa da competição foi encerrada nesta segunda-feira, com 200 amostras de café arábica selecionadas em duas categorias

A primeira etapa sensorial do X Concurso Estadual de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais terminou nesta segunda-feira (28). Foram selecionadas 105 amostras de café arábica na categoria cereja natural e 95 na categoria cereja descascado, que passaram por análise sensorial )a prova da bebida preparada). Foram avaliados aroma e sabor, entre outras características. A relação dos 200 finalistas, aptos a participar da próxima fase, está disponível no site da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG).

O concurso, coordenado pela Emater-MG,, contou com a inscrição de 1.213 amostras de café arábica, da safra 2013, das quatro regiões produtoras de café do Estado: Cerrado, Chapadas, Matas e Sul de Minas. Das amostras recolhidas, 870 são da categoria natural e 343 da categoria cereja descascado. As amostras passaram inicialmente por uma análise física, em que foram verificados a umidade, peneira e defeitos dos grãos.

O próximo passo agora é fazer a reamostragem dos cafés, para a grande final, em degustações que serão realizadas nos dias 8, 9 e 10 de novembro, em Lavras, no Sul de Minas. As amostras para esta segunda prova sensorial deverão ser enviadas para a Unidade Regional da Emater-MG em Lavras, até o dia 5 de novembro de 2013. O café deverá seguir as condições mínimas, conforme o regulamento do concurso: cinco quilos; umidade 11,5%; peneira 16 acima; Tipo 2. É necessário também apresentar a ficha de inscrição devidamente preenchida e xerox do comprovante de certificação (quando for o caso). O endereço para qual o material deve será enviado é Campus Histórico da UFLA, S/N – Caixa Postal 148, CEP.:37200-000 – Lavras – MG.

O coordenador do concurso, Marcos Fabri Junior, da Emater-MG, destaca que o principal objetivo desta competição é educativo. “Todas as amostras recebidas são diagnosticadas de forma detalhada, laudos são emitidos e entregues aos extensionistas da Emater-MG, que posteriormente os apresentarão aos cafeicultores. O objetivo é a melhoria contínua da qualidade dos cafés de Minas”, afirma.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.