quinta-feira, 8 de Março de 2012 09:39h Atualizado em 8 de Março de 2012 às 10:24h. Celso Martins

Confins ou Pampulha para os voos regionais?

Se o Governo de Minas não bater o pé, o Aeroporto da Pampulha pode ficar ainda mais abandonado. A Trip Linhas Aéreas pediu autorização à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para lançar voos, a partir de 15 de abril, de Confins para Juiz de Fora, na Zona da Mata, e para Ipatinga, no Vale do Aço. Estas cidades já são atendidas pela Trip a partir da Pampulha.
A intenção da Trip é lançar dois voos diários em cada sentido nestas duas cidades a partindo de Confins. O Governo de Minas sempre bateu na tecla de que a Pampulha deve ser um aeroporto regional. Atualmente, o terminal de Belo Horizonte tem voos da Trip e da Passaredo. Neste ano, a Azul Linhas Aéreas lançou ligações diretas de Confins para Ipatinga e Uberaba. No dia 15 de março, a empresa terá voos para Montes Claros.
As rotas da Azul para o interior de Minas são nos turboélices ATR-72 configurados com 70 assentos. Este tipo de aeronave a concorrente Trip pretende colocar nas rotas de Confins para o interior do Estado. Nos voos que partem da Pampulha, a companhia usa o ATR-42 com 45 assentos e o ATR-72.
O Governo de Minas precisa reagir e cobrar da Anac explicações por ter autorizado voos da Azul em aeronaves de médio porte a partir de Confins. Por que não na Pampulha? Não somo a favor da Azul e nem da Trip. Queremos o melhor para a cidade. A Pampulha com voos regionais e Confins com as ligações de média e longa distância.
A Trip já usa na Pampulha o ATR-72, o mesmo modelo da Azul em operação em Confins (veja imagem abaixo), nos voos para Uberaba, no Triângulo Mineiro. Como já foi dito no início deste texto, este avião transporta 70 passageiros. Sabemos que o aeroporto central de Belo Horizonte, com uma sala de embarque pequena, com apenas uma esteira de bagagem, não tem como receber vários aviões de passageiros, mas suporta em horários alternados.
Situação semelhante ocorre na Zona da Mata. A Trip opera no aeroporto de Juiz de Fora e a Azul na cidade vizinha de Goianá. As duas cidades estão próximas ao Galeão, onde há mais opção de companhias aéreas, e consequentemente tarifas mais baixas. O Aeroporto Regional demorou para decolar, e hoje poderia ter voos de outras companhias, com tarifas mais baixas.

 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.