terça-feira, 26 de Maio de 2015 12:57h

Consciência ecológica aliada à educação infantil

Projeto desenvolvido na Escola Municipal Dona Lúcia Dias promove o conhecimento e envolve os alunos em um desafio pedagógico

A produção de texto em sala de aula tem um sentido diferente para alunos da Escola Municipal Dona Lúcia Dias, no bairro Araçás. Além de traduzirem em redações as lições que são ensinadas em diferentes disciplinas, eles estão aprendendo a usar as palavras para se conscientizarem e também conscientizar toda a comunidade escolar sobre a importância da preservação dos recursos hídricos. Este ano, diante da escassez de água, um projeto criado na escola vai premiar trabalhos engajados com a construção de uma consciência ecológica coletiva. É o projeto batizado como Leitura, Escrita e Produção de Texto Orientado pelo Professor, carinhosamente chamado de Lep Top.

Em sua segunda edição, o projeto tem a proposta de ampliar as discussões e o conhecimento sobre assuntos que interferem diretamente no cotidiano dos estudantes, alunos com idade entre cinco e 11 anos, matriculados da pré-escola ao 5º ano do ensino fundamental. Professores de diferentes disciplinas recebem o desafio de complementar a grade curricular com conteúdo educativo e os alunos, além do conhecimento, ganham como recompensa prêmios que incentivam a busca por mais informações.

A diretora da escola e uma das coordenadoras do projeto, Cláudia Baeta, defende a iniciativa. Segundo ela, o projeto consegue cumprir o objetivo de suscitar no aluno o apreço pela leitura e estimular a produção textual. “Acreditamos que com este incentivo podemos formar leitores mais críticos e conscientes além de, consequentemente, estimular escritores para uma sociedade que está em constante transformação”, defendeu.

Cláudia também acredita que os alunos têm um importante papel nesta transformação social. “A partir de temas tão globais como o que escolhemos este ano - a proteção e uso racional da água - a escola está ajudando a sensibilizar a comunidade sobre a necessidade de mudanças de hábitos e adoção de atitudes que preservam os recursos renováveis. Além disso, a proposta do projeto capacita as crianças para que elas sejam fiscais em suas casas e se transformem em cidadãos mais conscientes”, completou.

O tema do projeto foi lançado na escola este mês. “Água: defenda esse tesouro” é o foco dos trabalhos que serão desenvolvidos durante todo o ano letivo na escola e fora dela. Além dos estudos em sala de aula, o projeto vai ganhar as ruas com passeatas envolvendo toda a comunidade escolar nas ruas do bairro e vai receber a sociedade para a discussão sobre o tema, em setembro, na Feira de Cultura. “O Lep Top não é apenas uma ferramenta pedagógica que está limitada ao ambiente escolar. Ele mobiliza toda a rede social do aluno e os instigam a encontrar possíveis soluções para os desafios analisados junto com os professores”, analisou a diretora da escola.

Escola consciente
Para educar os alunos sobre a importância de preservar a água e defender o uso correto do recurso, a escola adotou uma postura responsável e ecologicamente correta.

Segundo a diretora, um plano de ação para enfrentamento da crise hídrica foi criado junto com os alunos e funcionários e desde o primeiro dia letivo, todos estão conscientes sobre a necessidade de economizar água e também energia elétrica.

“Em sala de aula a luz só é acessa quando há pouca claridade e todas as vezes que o quadro negro é utilizado. Fora da sala, os funcionários foram orientados a não usar mangueiras para lavar as áreas úteis. Desde então, a limpeza é feita com auxílio de baldes, o que nos ajuda manter baixo o consumo de água”, destacou. Até parte da água utilizada para lavar banheiros e piso vem da chuva. Ela é captada nos telhados e é armazenada em recipientes tampados.

“Essas simples ações, aliadas ao conhecimento que vai se criando em sala de aula, mostram a realidade para os alunos e os ajudam a criarem um senso crítico fundamental para compreenderem a sociedade na qual eles estão inseridos”, completou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.