segunda-feira, 11 de Janeiro de 2016 08:50h Agência Minas

Conselho Curador da Fundação Clóvis Salgado realiza primeira reunião do ano

Novos membros tomaram posse no órgão e conheceram o planejamento da instituição para 2016

O balanço de todas as ações culturais realizadas pela Fundação Clóvis Salgado em 2015 encabeçou a pauta da primeira reunião do Conselho Curador da FCS. Além de conhecerem as principais ações da casa para fomentar e estimular a cultura, os conselheiros também deliberaram sobre o plano de trabalho da Fundação em 2016. A reunião ocorreu na sexta-feira, 8 de janeiro, e contou com a presença do secretário de estado de cultura, Angelo Oswaldo, e do presidente da FCS, Augusto Nunes-Filho.

Os dados apresentados pelo presidente da FCS, e secretário executivo do Conselho Curador, evidenciaram o caráter público da instituição em 2015, garantindo mais visibilidade à Orquestra Sinfônica, ao Coral Lírico de Minas Gerais e à Cia de Dança Palácio das Artes, os corpos artísticos da FCS. No ano passado, os três grupos realizaram cerca de 60 apresentações, gratuitas e a preços populares, com um público de aproximadamente 175 mil espectadores.

Augusto Nunes-Filho também detalhou as principais atividades do Centro de Formação Artística e Tecnológica (Cefart), responsável pelo ensino artístico na FCS, o estímulo às artes e ao audiovisual, por meio de editais, e as mostras de cinema realizadas pelo Cine Humberto Mauro, que no ano passado apostou em estilos cinematográficos mais diversificados, com a proposta de ampliar o público frequentador do espaço. Foram mais de 80 mil visitantes em 2015.

Segundo o presidente da FCS, todo o planejamento feito para a casa em 2015 é fruto de um alinhamento institucional da nova gestão para reforçar a imagem pública da Fundação Clóvis Salgado. “Nós estamos pensando a Fundação Clóvis Salgado sob as perspectivas da casa pública, da causa pública e da coisa pública. Por isso, houve esse empenho em consolidar a FCS como uma instituição potente em produção, difusão e estímulo artístico”, disse.

 

Planejamento para 2016

Neste ano, os pilares que vão sustentar as atividades culturais na Fundação Clóvis Salgado continuam a reforçar a vocação pública da casa. Além de promover uma agenda recheada de atividades que visam o fomento e a fruição cultural na cidade, a gestão da FCS já está investindo em obras de infraestrutura para melhorias no complexo cultural do Palácio das Artes, atendendo, a uma antiga demanda.

A reforma dos banheiros do Grande Teatro do Palácio das Artes já está em andamento. E um novo banheiro será construído no piso inferior ao Foyer do teatro. O local terá capacidade para oito sanitários no banheiro feminino e cinco mictórios e duas cabines no banheiro masculino.

O Espaço Mari’Stella Tristão também está em reformas para ser reconfigurado como galeria. Após o término das obras, a entrada, que antes ficava de frente para o Café do Palácio, será ao lado do Teatro João Ceschiatti. Outra mudança relevante será a nova grade curricular do Centro de Formação Artística e Tecnológica, o Cefart. O currículo dos cursos artísticos será ampliado já neste ano, com a adição de disciplinas voltadas para a tecnologia do espetáculo. Os alunos terão aulas de adereços, cenotecnia, figurino, iluminação cênica e sonoplastia. O Centro Técnico de Produção, que atualmente funciona em Sabará, será incorporado ao Cefart, e abrigará essas atividades.

 

Novos membros para o conselho

O secretário de estado de cultura, Angelo Oswaldo, que preside o Conselho Curador, deu posse aos novos membros deste ano. Representando o poder público, assumiram o cargo: Ana Paula Ribeiro de Oliveira, suplente do Secretário de Estado, Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães; o presidente da Fundação Municipal de Cultura, Leônidas Oliveira, e Lúcio Sampaio, da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). E, como representante da sociedade civil, Pedro Afonso Pederneiras, do Grupo Corpo.

 

Conselho Curador da Fundação Clóvis Salgado

Implantado pelo Decreto nº 45.828/2011, o Conselho Curador Fundação Clóvis Salgado é uma unidade colegiada, criada para aprimorar o processo de elaboração e aplicação das políticas públicas da FCS. O Conselho é formado por representantes do Estado de Minas Gerais, do município de Belo Horizonte e por membros da Comunidade Cultural do Estado, afirmando a intenção da Fundação em aperfeiçoar as formas de participação da sociedade civil na efetivação dessas políticas.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.