quarta-feira, 4 de Abril de 2012 14:43h

Conselho Estadual da Mulher tem nova diretoria

O conselho foi criado em 1983 para atender às reivindicações do movimento feminista e das mulheres mineiras

O Conselho Estadual da Mulher (CEM) ganhou uma nova presidente. A professora Jovita Levi Ginja tomou posse, nesta segunda-feira (2), em substituição à professora Carmen Rocha. Durante a cerimônia, no Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa, o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Cássio Soares, ressaltou a trajetória de conquistas do conselho, que há 29 anos luta pelos direitos da mulher em Minas Gerais.
“Já tive uma conversa com a Dona Jovita, na semana passada, para que iniciemos algumas tratativas de políticas de Estado que vão precisar do apoio do Conselho da Mulher. E a intenção da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) é levar adiante as políticas públicas determinadas pelo governador Antonio Anastasia, dando sequência às boas práticas que começaram a ser implementadas pelo então governador Aécio Neves”, disse.
Sobre os desafios na caminhada das mulheres pela igualdade de direitos, Cássio Soares citou a baixa participação feminina nos parlamentos. “A presença de mulheres nos parlamentos mundiais não chega a 20%, segundo dados da União Interparlamentar. No Brasil, essa participação é ainda menor: em torno de 10%. A política tem que ser revista pela mulher como oportunidade de defesa dos seus direitos”, disse, lembrando que a política é uma ferramenta fundamental para mudar a vida das pessoas.
História
O Conselho Estadual da Mulher foi criado em 1983, na gestão do então governador de Minas, Tancredo Neves, para atender às reivindicações do movimento feminista e das mulheres mineiras. Ao longo desses anos, tem lutado em favor da igualdade de oportunidades e de direitos entre todas as pessoas.
“O trabalho desenvolvido pela professora Carmen Rocha e sua equipe aumenta ainda mais a nossa responsabilidade. Estamos vivendo um momento especial, pois o conselho está passando para as mãos da sociedade civil. Essa alternância de poder é muito desejável e importante para todos nós, pois a sociedade civil assume esse comando, certamente sem romper essa parceria tão saudável e importante com o poder público”, frisou a nova presidente, professora Jovita Levi Ginja.
Composição paritária
O Conselho da Mulher é formador por dez representantes do poder público e dez da sociedade civil. Consolidado como espaço democrático de participação e instrumento de desenvolvimento social de Minas, está sempre atento à eficácia e à efetividade das políticas públicas voltadas para o público feminino.
O CEM também tem trabalhado para ampliar, em Minas, a criação e o fortalecimento dos Conselhos Municipais dos Direitos da Mulher (CMDM). Hoje, o Estado já conta com aproximadamente 80 CMDM.
Além da presidente Jovita Levi Ginja, foram empossadas também as conselheiras representantes do poder público e da sociedade civil. O mandato é para o biênio 2012/2014.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.