sexta-feira, 19 de Setembro de 2014 07:15h Atualizado em 19 de Setembro de 2014 às 07:16h.

Convênio assinado entre Prefeitura e governo do Estado garante construção de rede de captação pluvial no centro de Mateus Leme

A intervenção da Prefeitura de Mateus Leme junto ao governo de Minas foi efetiva para que o município fosse contemplado com as obras de captação pluvial, iniciadas em agosto e com previsão de término até dezembro.

Crédito: Divulgação PM

Desde 2009, dois anos depois de assinado o contrato entre a Nascente das Gerais e a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (SETOP), a administração municipal participou de várias reuniões e conseguiu junto ao então secretário de governo, Danilo de Castro, aprovação para a construção de uma rede de captação de água da chuva na região central do município. Em maio de 2013, depois de já aprovado o projeto que prevê a liberação dos recursos, o prefeito Marlon Guimarães interveio pessoalmente e reiterou o pedido para a agilidade das obras. “Todavia encontra-se o projeto já aprovado por parte do governo, solicitamos a intervenção em nome de nosso município para que este projeto tenha andamento o mais breve possível, sendo sua devida execução garantida antes do período chuvoso, minimizando os prejuízos de nossos munícipes”, escreveu em ofício n.º 052/2013 entregue ao secretário de Estado de Governo.

O alinhamento da Prefeitura com o governo do Estado foi, nesse sentido, fundamental para a liberação dos recursos. Em junho de 2013, portanto dois meses após a apresentação do ofício, a imprensa oficial de Minas Gerais publicou os termos de um aditivo ao contrato de concessão da rodovia no valor de R$ 524 milhões, o que garantiu a execução de várias melhorias ao longo da autopista, entre elas a duplicação do trecho entre Mateus Leme e Azurita. É desse montante que saíram os recursos previstos para a execução do projeto de captação pluvial no centro da cidade.

“Mais do que bom relacionamento com o governo do Estado, foi preciso muita vontade política e empenho da administração municipal para assinar o convênio que permitisse a liberação de recursos para a execução do projeto no centro de Mateus Leme”, afirmou o prefeito. “Hoje, a população sabe que o problema com as inundações está chegando ao fim e que a Prefeitura vai continuar trabalhando para defender os interesses sociais em todas as esferas de governo, aonde forem necessárias intervenções para garantir mais desenvolvimento para o município”, completou.

As obras de drenagem em Mateus Leme estão previstas para serem realizadas entre os quilômetros 67,7 e 68,9 da rodovia MG-050, de onde será captada grande parte do volume pluviométrico que desce dos bairros Nossas Senhora do Rosário e da autopista. A Concessionária Nascente das Gerais, responsável pela administração e operação da rodovia, afirmou que serão investidos R$ 12,1 milhões nas intervenções e a previsão é de que sejam gerados 40 empregos diretos e indiretos nas obras de construção da galeria pluvial. “Embora a obra não seja de responsabilidade da Prefeitura a administração está empenhada em trabalhar para minimizar os possíveis transtornos que possa causar as intervenções. E, estamos atuando em parceria com a empreiteira que executa o projeto e a ACIAPS para manter todos os moradores e os comerciantes das áreas afetadas informados sobre o ritmo das obras, dando total transparência à execução e conclusão do projeto”, concluiu o prefeito.

Centro de Mateus Leme receberá novo asfalto após fim das obras na Getúlio Vargas

A construção da galeria para captação de água das chuvas vai diminuir em até 90% os transtornos causados pelas fortes enxurradas no centro de Mateus Leme. A intervenção, que vai exigir a escavação de parte da avenida Getúlio Vargas, das ruas Dr. Tomaz Andrade e Arthur Oliveira, para construção da rede pluvial,  será concluída com um novo asfaltamento nas vias centrais do município. “Vamos aproveitar a obras para melhorar o acesso ao centro da cidade, atendendo de uma só vez os anseios de parte da população e dos comerciantes”, afirmou o prefeito Marlon Guimarães.

O recapeamento das vias será feito de acordo com o cumprimento do cronograma das obras que, na atual fase, está concentrado em frente a Prefeitura. Conforme já explicaram os engenheiros responsáveis pelas intervenções, a construção das galerias subterrâneas será realizada por etapas, a cada 80 metros, até que seja concluído todo o percurso de obras, que é se aproximadamente 1,3 quilômetro.

“O benefício trazido por estas obras será imensurável. Vamos colocar fim a um problema que aflige centenas de moradores e comerciantes e ainda criar uma nova dinâmica para o trânsito, com uma nova camada de asfalto e uma sinalização mais efetiva”, completou o prefeito.

Mais benefícios

Em agosto, em conversa com os responsáveis pela execução do projeto, Marlon Guimarães reforçou as exigências feitas pela Prefeitura para anuência da duplicação da rodovia no perímetro urbano no município e disse que a cidade será beneficiada antes que sejam iniciadas as obras. Entre as novas responsabilidades da concessionária responsável pela gestão da rodovia, está a criação de um viaduto para a ligação da avenida Padre Vilaça, que passará por baixo da rodovia. “Essa foi umas das exigências do município para expedir o termo de anuência que vai autorizar o início da duplicação na entrada da cidade. Hoje, com as obras iniciadas na avenida Getúlio Vargas, nós temos um indicativo de que o projeto será concluído e o município será atendido no que diz respeito às suas exigências”, afirmou o prefeito.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.