quarta-feira, 6 de Março de 2013 12:11h Comunicação Incra/MG

Cooperativismo aumenta a renda de assentados mineiros

O cooperativismo tem melhorado a vida e aumentado a renda de assentados e agricultores familiares do Alto Paranaíba, em Minas Gerais. A Ibiabiocoop tem incentivado a produção e auxiliado na venda dos produtos dos trabalhadores rurais da região.

 

Inaugurado no fim de 2012, um supermercado instalado na sede da cooperativa, no assentamento Morro Alto, criado pelo Incra/MG em Ibiá (MG), tem diminuído as distâncias percorridas pelas famílias diariamente e permitido maior dedicação ao plantio e criação de gado leiteiro e porcos. O lucro do supermercado é reinvestido no empreendimento.

 

Até o meio do ano, devem ser inauguradas as fábricas de torrefação de cafés, de farinha, de ração e salame artesanal italiano. As máquinas já foram adquiridas e aguardam o término das instalações de acordo com as exigências sanitárias.

 

Os investimentos, que têm possibilitado o aumento da renda local, mostram que a participação entre as esferas do poder e a sociedade civil é imprescindível para o desenvolvimento dos pequenos agricultores.

 

O Incra/MG cedeu a área de uso comum da associação dos assentados e da cooperativa. A prefeitura de Ibiá forneceu equipamentos para terraplanagem, mão de obra e materiais. A Emater/MG forneceu um tanque de armazenamento com capacidade para 10 mil litros de leite. A ONG italiana GVT forneceu recursos financeiros para a compra de maquinários e realização de obras. Outras instituições como a Universidade Federal de Viçosa (UFV) e  o Conselho Nacional de Segurança Alimentar (Consea) também têm auxiliado na melhoria da qualidade de vida dos assentados.

 

“Nós temos que trabalhar em conjunto, porque quem trabalha de forma individual gasta muito e ganha pouco. Assim, nós dividimos o custo e não desanimamos”, explica o presidente da Ibiabiocoop, José Expedito da Silva. O assentado afirma tirar renda média mensal de R$2 mil com a criação de porcos e plantações de milho e feijão, mas espera aumentar a renda ainda mais com as atividades em cooperação. “Meu filho Maurício vai para a Itália neste mês fazer um curso para a produção do salame artesanal”, destaca.

 

Por meio de contrato com empresa de Ibiá, a cooperativa instalou internet disponível aos assentados e tem feito pedidos para melhorar o sistema de telefonia. No assentamento há uma escola municipal até a 8ª série e posto de atendimento de saúde.

 

Para a venda da produção, a Ibiabiocoop tem levado os trabalhadores rurais para as feiras municipais de Ibiá e Araxá. O próximo passo é tentar montar um laticínio, com o uso do tanque de leite, por meio do programa Terra Forte que estimula a agroindustrialização em projetos de assentamento. “A cooperativa têm sido essencial para conseguirmos fazer mais projetos e agarrarmos as oportunidades que temos”, ressalta Silva.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.