segunda-feira, 28 de Outubro de 2013 12:04h

Copasa investe mais de R$ 70 milhões no município de Santa Rita do Sapucaí

Em 15 anos de operação na cidade, a companhia mineira oferece tratamento de água e esgoto para a maioria da população

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) é responsável pela operação do sistema de abastecimento de água e do sistema de esgotamento sanitário da sede do município de Santa Rita do Sapucaí há mais de 15 anos. Ao longo desses anos, já investiu mais de 70 milhões nesses sistemas. Em 1998 a empresa iniciou as melhorias e obras no sistema de água, implantando uma moderna estação de tratamento, ampliando a reservação e construindo novas redes de distribuição.

A companhia dotou a cidade com um sistema confiável que garante a quantidade e a qualidade da água distribuída à população para os próximos 25 anos, num investimento da ordem de R$ 40 milhões, com capacidade de produção de mais de 8 milhões de litros por dia, sendo distribuídos por mais de 120 mil metros de rede e atendendo mais de 98,5 % da população.

O sistema de esgotamento sanitário de Santa Rita do Sapucaí também passou por várias melhorias e modificações ao longo desses anos, com a recuperação de grande parte dos 75 mil metros de redes coletoras existentes, construção de mais de 25 mil metros de novas redes e implantação de 16 mil metros de interceptores e de cinco elevatórias para conduzir todo o esgoto coletado da malha urbana até a estação de tratamento, num investimento da ordem de mais de R$ 30 milhões.

Desde maio de 2013, mais de 80% do esgoto dos imóveis da cidade de Santa Rita do Sapucaí já estão sendo tratados na moderna estação de tratamento de esgoto, cuja capacidade é de cerca de 13 milhões de litros por dia e a Copasa não para, pois já está em andamento o processo para conclusão das obras necessárias para coletar os esgotos de alguns setores da malha urbana que não foram contemplados nessa primeira etapa e levar esse benefício a toda população.

Melhorias nos serviços

O esgoto doméstico é aquele gerado a partir da água utilizada em cozinhas (pia e bebedouro) e banheiros (chuveiro, pia, lavatório, vaso sanitário e ducha higiênica) e a Copasa é a responsável, em Santa Rita do Sapucaí, pela coleta, transporte, manutenção e tratamento desse esgoto, antes que ele seja devolvido aos rios e córregos.

Para fazer esse serviço, a Copasa mobiliza uma completa estrutura humana e técnica em atividades que incluem vistorias e instalações de poços de visita, correções de vazamentos, ligações de esgoto, substituição de tubulações danificadas e desentupimentos de redes que impedem o retorno do esgoto dos imóveis. É para custear esses serviços que existe a cobrança da tarifa de esgoto, definida pela Agência Reguladora dos Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG).

A tarifa pode ser de 50% do valor do consumo de água do imóvel – quando a Copasa recolhe o esgoto e faz a manutenção das redes – ou de 90%, como acontece em Santa Rita do Sapucaí quando, além da coleta, transporte e manutenção, também é feito o tratamento. A tarifa de 90% é cobrada apenas onde o serviço é executado. Por isso, em alguns pontos da cidade uma parcela da população continuará pagando apenas pela coleta e manutenção, até que sejam concluídas as obras de implantação de redes, interceptores e elevatórias.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.