segunda-feira, 15 de Junho de 2015 10:43h

Cras de São Vicente da Estrela promove qualidade de vida em Raul Soares

Mudança para distrito favoreceu população mais vulnerável. Atualmente são 11 grupos de convivência, na faixa etária de 0 a 104 anos, e várias histórias de superação

Com quase dois anos de funcionamento no distrito de São Vicente da Estrela, em Raul Soares, na Zona da Mata, o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) acumula várias histórias de sucesso. Inicialmente implantado no centro do município, em 2006, foi transferido em 2013 para uma região com maior vulnerabilidade social.

“É o distrito mais pobre da cidade e, ao contrário dos outros que têm no plantio e na colheita de café a geração de trabalho e renda, São Vicente da Estrela vive da criação de gado, com pouca oportunidade de emprego, com um quadro de extrema pobreza e a ocorrência de prostituição, abuso sexual de crianças e adolescentes, violência contra a mulher e alcoolismo”, explica a gestora social do município, Maria Valentina Nogueira.

No início, a população do distrito resistiu, mas em dois meses mudou de ideia e passou a participar dos atendimentos, dos acompanhamentos e grupos de convivência, que foram crescendo a cada mês. Em 2014 fechou o ano com um atendimento individualizado de 240 usuários/mês. Atualmente, há 11 grupos de convivência, na faixa etária de 0 a 104 anos.

A principal fonte de recursos do Cras São Vicente da Estrela é o Piso Mineiro de Assistência Social e em sua rotina se encontra a realização de uma reunião no início de cada mês com os trabalhadores dos dois outros Cras, do Creas e da Secretaria Municipal de Assistência Social de Raul Soares.

“Em uma das primeiras reuniões, a assistente social do Cras São Vicente da Estrela contou emocionada a história de uma usuária que tinha por profissão a prostituição. Com 58 anos, sem documentos, com três filhos e netos, a usuária morava sozinha e não tinha acesso a qualquer benefício. Após um ano, abandonou a prostituição, retirou os documentos e passou a receber o Bolsa Família”, conta Maria Valentina.

“Ela vai votar pela primeira vez na próxima eleição. Este ano já participa da escolha dos membros do Conselho Tutelar da Criança e do Adolescente”, completa a coordenadora do Cras, Heloiza Helena Pires dos Santos.

Casos como esse são comuns no distrito. Uma moradora aprendeu a bordar em uma oficina do Cras, transformou a oportunidade em geração de renda e hoje atende a encomendas de Belo Horizonte. Outra usuária parou definitivamente de beber há dois anos.

Após superar vários desafios, da resistência da população à dificuldade de transporte até o local, Heloiza Helena e equipe se preparam para a Conferência Municipal de Assistência Social de Raul Soares, marcada para 11 de julho. Na pauta, a defesa da permanência do Cras no distrito e a construção de moradias e banheiros para alguns integrantes da comunidade de São Vicente da Estrela.

O distrito de possui 1.274 habitantes e está a 38 km da sede do município. De acordo com o Registro Mensal de Atendimentos (RMA) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), o município de Raul Soares registrou 1.802 atendimentos às famílias nos Cras, no período de janeiro a abril de 2015. Raul Soares conta com três unidades do Cras (São Vicente da Estrela, Vila Barbosa e Bom Jesus).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.