quinta-feira, 1 de Outubro de 2015 13:27h Atualizado em 1 de Outubro de 2015 às 13:28h.

Cresce o número de participantes no Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais

Número de amostras inscritas aumentou 26% em relação ao ano passado

A edição deste ano do Concurso Estadual de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais teve 1.300 amostras inscritas. Um crescimento de 26% em relação a 2014, que contou com 1.025 amostras. As inscrições foram encerradas em setembro e agora começam as etapas de análises física e sensorial. Participam da disputa produtores das quatro regiões cafeeiras do Estado: Cerrado, Chapadas de Minas, Matas de Minas e Sul de Minas.

O concurso é realizado pelo Governo de Minas Gerais. A coordenação é da Emater-MG, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), o Instituto Federal do Sul de Minas/Campus Machado e Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Faepe) e Secretaria de Estado de Agricultura.

A cerimônia de encerramento do concurso, com o anúncio dos vencedores, está programada para o dia 26 de novembro, em Manhuaçu, na Zona da Mata. Do total das inscrições deste ano, 1.014 são amostras da categoria Natural e 286 da categoria Cereja Descascado. A região do Cerrado inscreveu 126 amostras, 28 são da Chapada, 554 das Matas de Minas e 592 do Sul de Minas. Nove jurados avaliam as amostras.

“As amostras têm excelente qualidade, estão bem preparadas e terão condições de surpreender o mercado e seus compradores”, diz o gerente regional da Emater-MG em Lavras, Marcos Fabri Júnior.

Ao todo, são três etapas de avaliação. Na primeira, são feitas análises física e sensorial. Na avaliação física, são observados o tipo dos grãos, a umidade e a coloração. Na sensorial é feita a classificação das amostras de acordo com as qualidades da bebida pronta (classificação quanto ao sabor e aroma). Na segunda etapa, há mais uma análise sensorial. Na terceira e última fase, serão realizadas novamente as análises física e sensorial. As etapas de análises das amostras só terminam em novembro.

“O Concurso continuará sendo uma ferramenta para incentivar a melhoria contínua dos cafés mineiros, principalmente da agricultura familiar. O foco é a educação através da assistência técnica e extensão rural, integrando setores como ensino, pesquisa, extensão e iniciativa privada em prol de uma cafeicultura moderna, competitiva e de alta qualidade para fornecer os melhores frutos desta safra para o consumidor”, afirma Fabri.

Os vencedores recebem certificados e prêmios. Os dois ganhadores de cada categoria serão eleitos os melhores cafés de Minas Gerais. Também será entregue a Medalha Destaque em Sustentabilidade, oferecida a um produtor pela participação no programa Certifica Minas Café, do Governo do Estado.

A realização do concurso também conta com o apoio de diversas instituições como o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Organização das Cooperativas de Minas Gerais (Ocemg), Federação de Agricultura (Faemg), Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaemg), e cooperativas de café do Sul do Estado. Mais informações sobre o concurso pelo telefone (35) 3821-0020, pelo e-mail uregi.lavras@emater.mg.gov.br ou no site da www.emater.mg.gov.br.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.