sexta-feira, 8 de Março de 2013 09:57h Assessoria de Comunicação - Passos

Curso do SENAR ajuda na liberação de agroindústrias de peixes em Capitólio e Formiga

O SENAR MINAS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) está ajudando piscicultores de Capitólio e Formiga na liberação de agroindústrias de processamento de peixes, dentro do que prevê a legislação. Nesta semana,  foi realizado em cada município o curso gratuito de “Abate, Filetamento e Processamento de Tilápias” para capacitar produtores nas boas práticas de manejo de um dos peixes mais comuns nessa região do Rio Grande.

 

O instrutor Cyro Daniel de Campos informou que o curso do SENAR fornece informações para o piscicultores que desejam fazer o processamento da tilápia. Em três dias, os participantes recebem aulas teóricas e práticas sobre boas práticas de fabricação de abate, filetamento e processamento do peixe a fim de obter produtos diferenciados no mercado, como filé, lingüiças, almôndegas, hambúrguer, empanados e pururuca da pele de tilápia.

 

“Aqui, eles aprendem as técnicas visando as práticas sanitárias exigidas com a fabricação de produtos de qualidade e diferenciados no mercado. Muitos desses piscicultores estão se adequando às leis do IMA para montar uma agroindústria coletiva. O SENAR  vem atender o desejo deles e apresentar uma alternativa de renda para esses pequenos produtores”, avaliou Cyro, tecnólogo em alimentos.

 

Em Formiga, o curso acontece na Comunidade Rural de Loanda até neste sábado, 9 de março, para 12 produtores, numa realização do Sindicato dos Produtores Rurais de Formiga. Metade dos participantes está interessada em fornecer para um abatedouro coletivo e ampliar sua renda, como informou o piscicultor Samuel de Faria Arantes.

 

Conforme ele, uma veterinária do SIM (Serviço de Inspeção Municipal) indicou a capacitação pelo SENAR. “O abatedouro está pronto para abater e estamos indo atrás da burocracia e nos capacitando para trabalhar lá. O próprio SIM nos orientou sobre o curso do SENAR para atendermos às exigências legais e nos ensinar toda a prática e técnicas e processamento do peixe”, avaliou Samuel.

 

Ele adiantou que o abatedouro tem capacidade para abater 500kg/dia, mas os seis primeiros produtores começarão com cerca de 300kg/semana – produção direcionada para a merenda escolar e venda em feiras locais. “Com certeza, o curso vai nos ajudar muito e na próxima semana, já começaremos os trabalhos no abatedouro”, afirmou Samuel.

 

Autorização

 

Em Capitólio, o curso aconteceu entre os dias 4 e 6 de março para 13 piscicultores, que também estão atrás da papelada e autorização do IMA (Instituto Mineiro de Agropecuária) para o funcionamento de uma agroindústria coletiva de processamento de peixes. A realização foi do Sindicato de Produtores Rurais de Capitólio.

 

         A produtora Patrícia Regina Domingos, que é extensionista agropecuária da Emater MG (Empresa de Assistência Técnica e Rural) em Capitólio, participou do curso e avaliou que o treinamento ajudará muito na regularização exigida pelo IMA.

 

Ela informou que a Associação dos Piscicultores de Capitólio já tem um local projetado para abate e processamento de peixes que deverá ser arrendado e funcionar como agroindústria coletiva. “O curso do SENAR é ótimo, pois trouxe novas informações sobre processamento, técnicas de abate e boas práticas de higiene. É uma indicação do IMA fazer cursos do SENAR, pois a legislação prevê a capacitação dos produtores”, disse a engenheira agrônoma.

 

Para ela, os treinamentos do SENAR são específicos e mais direcionados, com bons instrutores e ótimo conteúdo. “No dia 28 de março, já está marcada palestra com o IMA, que irá falar sobre a importância dessa capacitação”, contou Patrícia.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.