sexta-feira, 3 de Outubro de 2014 06:31h Simião Castro

Decreto suspende aulas em Oliveira por falta d’água

Determinação vale para escolas da Rede Municipal de Ensino e pode ser prorrogada ou cancelada a qualquer momento de acordo com as condições climáticas

Crédito: Simião Castro


Decreto assinado ontem pelo prefeito de Oliveira, João Batista de Sousa, determinou a suspensão imediata das aulas nas escolas municipais da cidade. A justificativa foi a alta demanda de água das instituições para garantir o bem estar de estudantes e funcionários. A princípio a medida vale de hoje a 10 de outubro.

Oliveira já está sob estado de emergência, o que possibilitou a urgência na assinatura do decreto, que pode ser revogado ou estendido de acordo com a evolução das condições climáticas, que aliviem ou agravem a capacidade de captação de água no município. O tempo quente foi fator predominante para a decisão, pois, de acordo com o texto do decreto, provocou “aumento da demanda de água tratada pela população.”

O prefeito considerou parecer técnico do SAAE apontando grave risco de falta de abastecimento de água potável na cidade, em razão do longo período de estiagem que atinge toda a região. João Batista autoriza ainda a Secretaria Municipal da Educação a tomar as medidas necessárias para o cumprimento do decreto e solicita elaboração de calendário para reposição das aulas perdidas durante o período.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.