segunda-feira, 1 de Dezembro de 2014 11:21h

Defesa Social realiza seminário de Assistência Religiosa e Políticas Sobre Drogas

Cerca de 100 pessoas, entre diretores do sistema prisional e parceiros voluntários, se reuniram no 2º Seminário de Assistência Religiosa e Políticas Sobre Drogas

om o tema “Novas Tendências Estratégicas para o Atendimento ao Preso”, o objetivo do 2º Seminário de Assistência Religiosa e Políticas Sobre Drogas, realizado pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) por meio da Superintendência de Atendimento ao Preso (SAPE), foi analisar as práticas e propor novos projetos para o desenvolvimento da espiritualidade dos detentos nas unidades e das práticas de políticas sobre drogas. O superintendente de Atendimento ao Preso, Helil Bruzadelli, salientou a importância do trabalho de todos no intuito de recuperar os detentos do estado e destacou a boa relação entre as entidades religiosas dentro das unidades como um fator positivo no resgate daqueles que são privados de liberdade. “O impacto desse trabalho é extremamente positivo na recuperação dos detentos e sempre temos o retorno favorável dos próprios egressos do sistema prisional e de seus familiares. Eu fico feliz em ver que, cada vez mais, temos voluntários nessa vontade de transformação da realidade social no sistema prisional”, concluiu Helil.

Para o coordenador de Assistência Religiosa e Políticas sobre Drogas, Reinaldo Domingos, esse encontro serviu para fazer um fechamento dos trabalhos realizados esse ano e avaliar novas ações para o próximo ano. “Apresentamos os bons resultados do trabalho de todos e pudemos esclarecer dúvidas e discutir alternativas para a melhora da assistência religiosa e das políticas sobre drogas nas unidades”, afirmou Domingos.

ATENDIMENTO AO PRESO – ASSISTÊNCIA RELIGIOSA

A Coordenadoria de Assistência Religiosa e Políticas Sobre Drogas da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) tem como objetivo incentivar a reintegração social e proporcionar a mudança de comportamento dos indivíduos privados de liberdade. Para isso, trabalha os valores éticos e morais descritos nos livros de instruções religiosas e nas políticas sobre drogas, visando à humanização de todo o sistema prisional.

O trabalho é feito a partir da parceria com diversas instituições voluntárias, que devem atuar sem doutrinação e sem proselitismo, respeitado a diversidade cultural. Hoje, todas as unidades prisionais administradas pela Suapi desenvolvem atividades de assistência religiosa e políticas sobre drogas.

As ações consistem em celebrações de missas, ritos, cultos, batismo, celebração eucarística, palestras, aconselhamento, distribuição de livros, entre outras.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.