quinta-feira, 8 de Outubro de 2015 11:57h

Destaques da pecuária em Minas Gerais em 2014

Minas Gerais é o maior produtor nacional de leite com a produção de 9.367.470 mil litros de leite produzido em 2014, 0,6% a mais que no ano anterior, segundo a Pesquisa Pecuária Municipal

Apesar disso, o Estado diminuiu

sua participação na produção nacional (26,6%), mas ainda detém mais de um quarto do leite produzido no Brasil.

Entre os 20 maiores municípios produtores do país, onze estão em Minas Gerais: Patos de Minas (3o), Patrocínio (6o),

Coromandel (7o), Ibiá (8o), Unaí (10o), Pompeu (11o), Prata (12o), Monte Alegre de Minas (13o), Passos (16o), Curvelo

(19o) e Uberlândia (20o). A produtividade média no Estado aumentou novamente em 1,4% passando de 1.591 para

1.613 litros/vaca/ano, de 2013 para 2014. No Brasil, o aumento da produtividade foi em torno de 2,2%, puxada pelos

estados da região Sul. Apesar disso, a média estadual continua maior que a nacional (1.525 litros/vaca/ano). O valor

da produção de leite no Estado aumentou 0,7%, graças ao acréscimo na produção, uma vez que o preço unitário

O Estado mantém o segundo rebanho bovino do Brasil, com 23.707.042 cabeças, número 2,4% inferior ao de

2013. O Mato Grosso manteve-se na liderança com 28.592.183 cabeças. Vale salientar que apesar da segunda

colocação do Estado, nenhum município mineiro figura entre os 20 maiores produtores, em virtude da predominância

da pecuária extensiva e da área reduzida dos municípios mineiros em comparação com a de outros estados. Os

municípios mineiros com maior rebanho bovino são Prata, Unaí e Campina Verde ocupando respectivamente a 64a,

A pecuária extensiva mineira é característica também no rebanho eqüino (1o); por esse motivo, apenas

Governador Valadares (19o) está entre os 20 maiores rebanhos. Esse rebanho apresentou acréscimo de 0,7%.

Já para o rebanho suíno, Minas Gerais ocupa a 4o colocação, sendo Uberlândia o maior produtor nacional,

Urucânia o 10o, Jequeri o 15o e Patos de Minas o 19o. O total de suínos apresentou acréscimo de 2,8%, puxado pelo

aumento do efetivo em Jequeri, na Zona da Mata, Pará de Minas na região Central e Monte Alegre de Minas no

Houve queda de 0,1% na produção de ovos de galinha e de 1,2 % no efetivo de galinhas no Estado, que caiu

para o 4o lugar, sendo ultrapassado pelo Rio Grande do Sul. A queda foi gerada pela redução da atividade em granjas

de em Passa Quatro e Uberlândia. Os municípios de Itanhandu, Montes Claros e Passa Quatro ocupam a 3a, 8a e 16a

colocação no “ranking” nacional na produção de ovos de galinha. Em relação ao rebanho do total de galináceos, que

incluí a avicultura de corte, Minas Gerais permaneceu como o 5o maior rebanho, sendo Uberlândia o 4o maior, São Sebastião do Oeste o 5o e Pará de Minas o 6o. Esse rebanho apresentou acréscimo de 5,2% indicando aumento da

aptidão da avicultura de corte no Estado.

Minas Gerais continuou na 3a colocação no efetivo de codornas, com aumento de 3,8% em relação a 2013 e

na 2a posição na produção de ovos, com acréscimo de 10,6%,. Os municípios mineiros em destaque tanto no efetivo

como na produção de ovos são Perdões (5a posição em ambos), Itanhandu (8o maior efetivo e 6o

(9a posição em ambos).

A produção de mel de abelha no Estado também apresentou acréscimo considerável (15,5%, mantendo o

Estado na 4a produção nacional. O único município mineiro entre os 20 maiores produtores do Brasil é Santa Bárbara

(17o). Bocaiúva, que aparece na 21a posição, Formiga (38a) e Sabinópolis (39a) contribuíram para esse aumento.

Apesar de Minas Gerais ser apenas o 10o colocado na produção de peixes da aqüicultura, destaca-se a

produção de tilápia no Estado (5o maior produtor), sendo os municípios de Morada Nova de Minas e Felixlândia,

banhados pela represa de Três Marias, os 11o e 20o maiores produtores nacionais, além da produção de truta (2o

maio produtor, atrás de Santa Catarina) com os seguintes municípios na região da Serra da Mantiqueira entre os 20

maiores do Brasil: Sapucaí Mirim (2o), Camanducaia (3o), Delfim Moreira (4o), Bocaina de Minas (8o), Itamonte (14o),

Aiuruoca (15o) e Baependi (18o).

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.