quarta-feira, 30 de Abril de 2014 06:19h

Dia da Carne Suína destaca importância crescente do produto

O Dia da Carne Suína Mineira, 30 de abril, será comemorado pela primeira vez. Instituída pela Lei 21.125.

O Dia da Carne Suína Mineira, 30 de abril, será comemorado pela primeira vez. Instituída pela Lei 21.125, publicada em 4 de janeiro de 2014, a homenagem tem por objetivo a valorização da cadeia produtiva por sua importância nos segmentos econômico, social e cultural do Estado. Segundo o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, André Merlo, “o Governo de Minas reconhece o esforço de mais de 1,2 mil suinocultores e demais integrantes do setor para oferecer uma carne de alta qualidade, conforme as normas sanitárias e de segurança alimentar”.
A suinocultura estadual conta com mais de 5 milhões de animais, cerca de 13% do plantel nacional, segundo dados da Associação dos Suinocultores de Minas Gerais (Asemg). Um dos indicadores da participação do setor no agronegócio é o Valor Bruto da Produção (VBP), que deve alcançar em 2014 a cifra de R$ 1,2 bilhão. O VBP é o resultado da multiplicação do volume de produção pela cotação média do produto.

Outro comprovante da aceitação da carne de suíno procedente das granjas mineiras é a grande demanda do produto pelo mercado internacional. Segundo o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), em 2013, as exportações somaram US$ 128,6 milhões, cifra 16,9% maior que a registrada no período anterior. O volume, da ordem de 43,6 mil toneladas, foi 11,3% maior que o de 2012. Já no primeiro trimestre de 2014, as vendas internacionais de carne suína de Minas somaram US$ 39,1 milhões, cifra 29,1% superior à registrada em idêntico período do ano passado. E o volume exportado foi de 12,4 mil toneladas aumento de 17,7%.

O secretário ressalta que os mineiros correspondem aos investimentos realizados na suinocultura estadual para produzir mais, com melhoria da qualidade e buscando a sustentabilidade. Cada pessoa consome, em média, 22 quilos per capita/ano em relação aos 15,5 quilos per capita/ano da média nacional.

Merlo acrescenta que a aceitação da carne suína é crescente porque o produto faz parte atualmente do grupo das proteínas saudáveis, com baixo teor de gordura. “Esse avanço é devido aos cuidados com a alimentação dos animais, que atualmente é constituída de milho, soja, complementos vitamínicos e minerais. Além disso, os suinocultores de Minas têm uma atenção especial à genética dos suínos por meio da seleção de animais aptos a produzir mais carne e menos gordura”, enfatiza.
O secretário observa que em Minas é muito forte a tradição de levar à mesa a carne de suíno preparada de diversas formas. “Agora, os consumidores podem saborear costelinhas, lombos, bistecas, linguiças e outras iguarias com a certeza de que estão consumindo alimento de alta qualidade”, finaliza.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.