quarta-feira, 27 de Maio de 2015 12:21h

Dia de Luta Antimanicomial é comemorado com desfile na Cidade Administrativa

Usuários dos serviços de saúde mental fizeram comemoração nos jardins e defenderam tratamento humanizado

Usuários dos diversos serviços de saúde mental de Belo Horizonte desfilaram pelos jardins da Cidade Administrativa, na capital, com a Escola de Samba Liberdade Ainda que Tan Tan, para reforçar os princípios defendidos no Dia Nacional da Luta Antimanicomial, comemorado no dia 18 de maio: respeito e humanização no cuidado com os portadores de sofrimento mental.
Com fantasias coloridas, cantando e dançando ao som do samba enredo “Para que Nunca se Esqueça, para que Nunca Mais Aconteça”, os 450 visitantes saíram do Palácio Tiradentes e se dirigiram até o hall do Edifício Minas. Essa é a primeira vez que o Governo do Estado apoia o evento promovido pelo Fórum Mineiro de Saúde Mental.
Emocionado, o secretário do Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, falou da importância do movimento chegar à Cidade Administrativa pela primeira vez. “É um orgulho para o governo mineiro receber as pessoas que lutam por uma sociedade sem manicômios, sem prisões. A partir de hoje, a Cidade Administrativa será cada vez mais humanizada, com ações que valorizem as pessoas, de uma forma geral, e os servidores, em particular”.
A funcionária  da empresa MGS, Kátia Pagano, também se emocionou com o desfile “É triste e alegre ao mesmo tempo acompanhar esse desfile, porque são pessoas que já sofreram muito e agora estão integrados pela sociedade”, afirma.

Reforma psiquiátrica
O Dia Nacional de Luta Antimanicomial é organizado pelo Fórum Mineiro de Saúde Mental, pela Associação dos Usuários dos Serviços de Saúde Mental e pela Secretaria Municipal de Saúde, com apoio da Secretaria de Estado de Saúde de Minas. “Queremos conscientizar a população sobre a importância da Reforma Psiquiátrica no Brasil, principalmente em Minas Gerais, que é referência na luta antimanicomial”, explica a representante do Fórum Mineiro de Saúde Mental, Marta Soares.
Ela disse que o movimento se sentiu honrado com o convite para trazer a apresentação das alas da escola de samba para a Cidade Administrativa. “É a primeira vez que o governo do Estado apoia nossa iniciativa e acho que vai se empenhar na reforma psiquiátrica para todo o Estado de Minas”, comemora, lembrando que o governo pode estimular, mobilizar e propor políticas incentivando a sua implantação em cidades que ainda não adotaram essa linha humanizadora de tratamento.

História do Movimento
O Movimento de Luta Antimanicomial surgiu em 1987, propondo novas alternativas terapêuticas aos portadores de sofrimento mental. O movimento teve um papel fundamental ao trazer à tona muitas histórias e imagens da barbárie que acontecia nos antigos hospícios.

Créditos: Henrique Chendes/Imprensa MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.