quarta-feira, 19 de Novembro de 2014 10:05h

Dia do Barroco reverencia cultura mineira

ALMG comemora também, em Reunião Especial de Plenário, o bicentenário de morte de Aleijadinho

O Barroco Mineiro e o Bicentenário de Morte de Aleijadinho foram celebrados nesta terça-feira (18/11/14) em Reunião Especial de Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). A data comemorativa foi instituída pela Lei 20.470, de 2012, que determina a realização, anualmente, de atividades culturais com o objetivo de preservar e valorizar o patrimônio histórico relativo à expressão artística e à obra de Antônio Francisco Lisboa, o mestre Aleijadinho.

“A nossa mineiridade nasce do Barroco. Aleijadinho forjou, além de nossa cultura, nosso caráter. Temos que dignificar o seu legado. A Assembleia tem feito sua parte, ao revisitar nosso passado e ao dar a ele o seu devido valor”. Com essas considerações, o presidente da ALMG, deputado Dinis Pinheiro (PP), autor do Projeto de Lei 3.396/12, que deu origem à norma, reverenciou a cultura mineira e os expoentes do Barroco.

A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, cumprimentou o Legislativo estadual pela iniciativa de difundir a memória de Aleijadinho. “A preservação do trabalho do arquiteto e escultor e das demais obras do movimento artístico é um passo importante para a consolidação do patrimônio cultural material e imaterial do Estado. O Barroco encontrou em Minas um celeiro de artistas que elevou o estilo a uma atitude estética e filosófica”, enfatizou Eliane Parreiras.

Os lançamentos da medalha comemorativa do Bicentenário de Morte de Aleijadinho, cunhada pela Casa da Moeda do Brasil, e do livro "Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho: Artista síntese", da historiadora Cristina Ávila e do fotógrafo Márcio Carvalho, marcaram a solenidade. De acordo com o vice-presidente de Tecnologia da Casa da Moeda, Marcone da Silva Leal, participar da celebração é motivo de orgulho. “A singularidade e o talento unem a instituição ao escultor Aleijadinho. O artista obteve o reconhecimento devido, ao ter sua imagem eternizada em metal nobre. A Casa da Moeda, que também zela pela qualidade estética daquilo que produz, cumpre o seu papel ao contribuir para que essa homenagem seja possível ”, destacou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.