quarta-feira, 19 de Fevereiro de 2014 06:32h Atualizado em 19 de Fevereiro de 2014 às 07:22h. Simião Castro

Divinópolis é excluída de projeto de trem de passageiros

Sistema anunciado há dois anos sofreu revisões e cidade foi excluída do trajeto.


Divinópolis ficou de fora de projeto de trens de passageiros ligando o interior à capital. Decisão pode não ser definitiva, mas também não há previsões sobre implantação do serviço na cidade.
O projeto Trem, Transporte Sobre Trilhos Metropolitano, foi tema de reportagem na Gazeta em dezembro de 2012, após anúncio de que um dos ramais de trem urbano sairia da cidade. Os trechos haviam sido imaginados para funcionar de forma compartilhada com o transporte de carga, e um deles deveria ligar as cidades de Betim, Contagem, Sete Lagoas e Divinópolis. A revisão desse formato, no entanto, terminou com a exclusão da linha divinopolitana.
A justificativa alegada, porém, é que o tipo de mobilidade identificada como mais adequada entre Divinópolis e BH não tem características suficientes para se enquadrar nos moldes do atual projeto Trem. “A demanda prevista para o trecho se assemelha a um atendimento de características regionais, que não correspondem ao atual escopo do projeto Trem”, diz o coordenador do Programa de Mobilidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), Samuel Herthel Cunha e Silva, ligado à Secretaria de Estado Extraordinária de Gestão Metropolitana
Projeto
A princípio eram três os lotes de ramais possíveis, aproveitando a malha ferroviária que já existe na região. O primeiro lote é o que contemplava Divinópolis. O segundo, atenderia Belo Horizonte, Brumadinho, Águas Claras – em BH – e Contagem. Enquanto o lote três faria a ligação de BH a Nova Lima, Conselheiro Lafaiete e Ouro Preto.
Com a revisão do projeto, os trechos inicialmente pensados foram rearranjados em três linhas, bem mais restritas à Região Metropolitana. Linha A: Betim a Belvedere – região próxima à de Águas Claras. Linha B: Horto a Nova Lima. E Linha C: Horto, AITN e Sete Lagoas.
Ainda em 2012 foi aberto o Procedimento de Manifestação de Interesse, concluído em novembro de 2013, ele contribuiu para a eliminação de Divinópolis do projeto, uma vez que foram obtidos anteprojetos para parte do Lote 1 e para o Lote 2, havendo aprofundamento de etapas apenas para o Lote 2, explica Samuel.
Mobilidade
Em detrimento das projeções feitas pelo Governo do Estado, mobilidade urbana e regional é tema de debate já há alguns anos, e são muitos os engarrafamentos nas estradas de Divinópolis a Belo Horizonte, especialmente nos arredores da capital. Importante lembrar também que apenas dois trens no Brasil – excluindo-se os trens urbanos – fazem transporte de passageiros.
São os que correm na Estrada de Ferro Vitória a Minas, ligando a capital do Espírito Santo a BH, e na Estrada de Ferro Carajás, que liga São Luiz, no Maranhão, a Parauapebas, no Pará. Sendo que somente o primeiro tem viagens diárias nos dois sentidos.
O “Trem” encontra-se atualmente em etapa final de modelagem econômico-financeira, para em seguida se iniciar a etapa de consulta pública do projeto. O coordenador, no entanto, afirma que Divinópolis não foi descartada de vez. “Embora não tenha sido encontrada demanda para um trem metropolitano até Divinópolis, não significa que o Estado esteja desistindo da conexão ferroviária. Apenas que tal hipótese deverá ser tratada no futuro, após a consolidação do sistema metropolitano” considera.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.