quinta-feira, 6 de Novembro de 2014 09:49h

Divulgados os finalistas do 11º Concurso Estadual de Qualidade dos Cafés de Minas

Serão escolhidos os três melhores cafés em cada região nas categorias Café Natural e Café Cereja Descascado, Despolpado ou Desmuciliado

Trinta e três amostras foram classificadas para a final do 11º Concurso Estadual de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais. Serão escolhidos os três melhores cafés em cada região nas categorias Café Natural e Café Cereja Descascado, Despolpado ou Desmuciliado. Entre os cafés vencedores, os dois com maior pontuação em cada categoria serão eleitos campeões estaduais. A premiação dos vencedores do concurso acontece no dia 27 de novembro, em Patos de Minas. Clique aqui e confira a relação dos finalistas.

Para a edição deste ano foram inscritas 1.025 amostras das quatro regiões cafeeiras do Estado: Cerrado Mineiro, Chapadas de Minas, Matas de Minas e Sul de Minas. Os lotes foram entregues pelos cafeicultores nos escritórios da Emater-MG, sendo aceitos somente cafés da espécie Arábica, safra 2014, tipo 2 para melhor.

De acordo ainda com o regulamento, os grãos de café deveriam passar por peneiras 16 ou acima, com vazamento de até 5% e umidade máxima de 11,5%. Outra exigência é que a lavoura de origem da amostra seja georrefereciada. Cada cafeicultor pôde concorrer com apenas uma amostra em cada modalidade das respectivas categorias. Todas as amostras inscritas no concurso passam por análises físicas e sensoriais realizadas por provadores especializados em cafés especiais. “Ou seja, os cafés que participam do concurso estão prontos para a exportação”, afirma o coordenador técnico regional da Emater-MG, Marcos Fabri Junior.

As etapas de avaliação das amostras terminaram em outubro, sendo escolhidos 33 cafés finalistas. Na categoria Natural foram classificadas 16 amostras e o restante na Café Cereja Descascado, Despolpado ou Desmuciliado. Os lotes com maior pontuação serão os vencedores. Serão premiados os três melhores cafés de cada região nas duas categorias. Entre os cafés vencedores, os dois com maior pontuação em cada categoria serão eleitos campeões estaduais.

“Nosso principal objetivo não é estimular a competição. O caráter é mais educativo. Os resultados das amostras analisadas serão detalhados em laudos e entregues aos extensionistas da Emater-MG responsáveis pelas inscrições. Produtor e técnico terão condições de discutir quais as possibilidades existentes dentro das tecnologias preconizadas para a produção de bons cafés. Ou seja, o concurso é um trabalho de melhoria contínua dos cafés de Minas Gerais”, ressalta Marcos Fabri Junior.

O concurso é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Emater-MG, empresa vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Universidade Federal de Lavras, Organização das Cooperativas de Minas Gerais (OCEMG), Federação de Agricultura (FAEMG), Instituto Federal de Ensino e Tecnologia de Machado (IEF/Sul de Minas), Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café (INCT CAFÉ), Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão (FAEPE). O evento conta ainda com o apoio do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

Leilão Virtual

Entre os dias 8 e 21 de novembro será realizado um leilão virtual com 6 lotes dos vencedores das duas categorias de três regiões produtoras de café. Cada lote é formado por 10 sacas de 60Kg. O lance inicial é de R$ 1.100,00. Os cafés leiloados receberam nota acima de 84 pontos, de acordo com a tabela de classificação da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA). Mais informações sobre o leilão no site da FAEPE.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.