sexta-feira, 14 de Outubro de 2016 10:34h Agência Minas Gerais

Economia de energia em Minas Gerais com o horário de verão pode chegar a 340 MW

A alteração irá vigorar até a zero hora de 19 de fevereiro de 2017, totalizando 126 dias de duração

A partir da meia-noite do próximo domingo (16/10), os consumidores da Cemig e a população das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil deverão adiantar os relógios em uma hora com o início do horário do verão.

A companhia estima que a redução de demanda em sua área de concessão seja equivalente a 340 MW, o que corresponde à demanda de pico de uma cidade com 800 mil habitantes. Em Minas Gerais, a economia de energia será de até 0,5%, ou 108 GWh, suficiente para abastecer Belo Horizonte durante nove dias.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, nos últimos dez anos, o horário de verão possibilitou uma redução média de 4,5% na demanda por energia no horário de maior consumo e uma economia de energia de 0,5%, o que equivale, em todo o período do horário de verão, aproximadamente ao consumo mensal de energia da cidade de Brasília, com 2,8 milhões de habitantes. A alteração do horário irá vigorar até a zero hora de 19 de fevereiro do ano que vem, totalizando 126 dias de duração.

De acordo com o engenheiro de planejamento do sistema elétrico da Cemig, Wilson Fernandes Lage, o horário de verão garantirá a redução do carregamento nas linhas de transmissão, transformadores, sistemas de distribuição e unidades geradoras de energia.

“O grande benefício dessa redução é o aumento da confiabilidade e segurança da operação do sistema elétrico, reduzindo o risco de ocorrência de interrupções do fornecimento de energia”, afirma.

Outra vantagem mencionada pelo engenheiro é o menor gasto de energia, principalmente nas classes comercial e residencial. “Isso ocorre devido ao menor tempo de utilização da iluminação artificial, que pode reduzir até 5% o consumo mensal dos clientes”, esclarece Wilson.

Dicas de economia de energia

Apesar dos desligamentos das térmicas e da recuperação do nível dos reservatórios no País – e a consequente adoção da bandeira verde nas tarifas de energia –, o consumidor deve estar sempre alerta. Dessa forma, as pessoas devem utilizar a energia de forma racional e evitar o desperdício. Confira, abaixo, outras dicas de economia de energia:

Reduzir termostatos: seja no chuveiro, aquecedor, condicionador de ar, geladeira ou freezer, reduzir um grau no termostato pode representar uma economia de até 5% da sua conta.

Receptor de antena e de canal: uma atenção especial deve ser dada aos aparelhos de TV com receptor. Ao desligarmos a TV, devemos desligar também o receptor.

Iluminação: evite acender lâmpadas durante o dia e aproveite ao máximo a iluminação natural. Prefira as lâmpadas LED, pois elas duram mais e consomem menos. Pinte paredes e tetos com cores claras, que refletem melhor a luz, diminuindo a necessidade de iluminação artificial.

Geladeira: evite abrir a geladeira frequentemente. Retire de uma só vez os alimentos de que precisa. Não guarde alimentos ainda quentes. Para saber se a borracha de vedação está em bom estado, faça o seguinte teste: coloque uma folha de papel entre a porta e a geladeira, feche a porta e tente retirar a folha; se ela sair com facilidade, está na hora de trocar a borracha. Repita o teste em vários pontos da porta da geladeira. Nunca utilize a grade traseira para secar roupas ou calçados.

Tomadas e fios: tomadas quentes são sinônimo de desperdício e risco de acidentes. Por isso, evite o uso de benjamins. Emendas mal feitas causam perda de energia.

Celulares e câmeras: nunca deixe seu aparelho celular passar a noite carregando, ou seja, dê a carga e retire-os da tomada. Para câmeras digitais que não usam pilhas, aplica-se a mesma regra do celular. Só carregue o tempo necessário especificado no manual.

Computadores: quando não o estiver usando, mantenha o computador desligado. Dê preferência aos notebooks, que consomem menos energia. Não deixe os acessórios do computador (impressoras, scanners etc.) ligados sem necessidade.

 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.