quinta-feira, 15 de Setembro de 2016 18:51h AGENCIA MINAS

Edital do Iepha-MG recebe propostas para restauração do Vapor Benjamim Guimarães

Bem cultural localizado em Pirapora é um dos últimos exemplares de embarcação a vapor ainda em funcionamento no Brasil

A Secretaria de Estado de Cultura (SEC), por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico de Minas Gerais (Iepha-MG), está com edital de licitação aberto para a contratação do projeto executivo de reforma e restauração do Vapor Benjamim Guimarães, embarcação protegida por tombamento pelo Iepha-MG desde agosto de 1985.

Para a realização do projeto executivo, serão investidos pelo Governo do Estado cerca de R$ 85 mil.

A recuperação do centenário Vapor, situado na cidade de Pirapora, no Território Norte, foi uma determinação do governador Fernando Pimentel, em atendimento a uma demanda da comunidade da região. Após a contratação de uma empresa para cuidar do projeto executivo, será a vez, na segunda etapa, da licitação para contratar serviços técnicos especializados de engenharia naval.

Entre os reparos necessários estão a recuperação do casco, do sistema de esgoto dos porões, revisão do gerador, pintura geral, entre outros. A estimativa de custos da intervenção é de R$ 3 milhões.

As empresas interessadas em participar da licitação para o projeto executivo encontram detalhes do edital 1/2016 na página do Iepha-MG. A abertura das propostas está prevista para o dia 19 de setembro (segunda-feira), às 10h. 

Vapor Benjamim Guimarães

A embarcação foi construída nos Estados Unidos, no Vale do Mississipi, e trazida ao Brasil em 1913, para a bacia do Rio Amazonas. Na década de 20 passou a navegar no Rio São Francisco onde recebeu o nome de Benjamim Guimarães em homenagem ao patriarca da firma que adquiriu o vapor. 

Reconhecido oficialmente como patrimônio cultural municipal e estadual, o vapor foi tombado pelo Iepha-MG em 1985 e incorporado ao patrimônio histórico do município de Pirapora em 1997. Responsável pela atração de um grande número de turistas para a região, a embarcação movimenta a economia local e é um referencial na navegação comercial do Rio São Francisco.

O Benjamim Guimarães possui capacidade para 140 pessoas e é um dos últimos exemplares de embarcação a vapor ainda em funcionamento no Brasil, com sistema movido a lenha e caldeira, impulsionado a vapor e roda-popa.

Por sua importância histórica e cultural para o vale do Rio São Francisco, o vapor já foi palco de gravações de novelas de televisão, em rede nacional, e ultimamente tem sido usado como palco para apresentações artísticas e culturais, como a orquestra sinfônica, entre outros.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.