sexta-feira, 21 de Janeiro de 2011 00:00h

Educação realiza primeiro encontro gerencial do ano

Secretária Ana Lúcia Gazzola definiu prioridades de sua gestão e comentou a remuneração por subsídios

Nestas terça (18) e quarta-feira (19), foi realizado o 1º Encontro Gerencial da Secretaria de Estado de Educação de 2011. O evento, que aconteceu no hotel Ouro Minas, em Belo Horizonte, foi a primeira reunião gerencial entre as Superintendências Regionais de Ensino (SREs) e as professoras Ana Lúcia Gazzola e Maria Ceres Pimenta Spinola Castro, respectivamente, secretária e secretária-adjunta de Educação. O encontro contou com a presença de 170 servidores da área de Educação, entre representantes das 47 superintendências regionais, diretores e funcionários da área de Recursos Humanos da Secretaria de Estado de Educação (SEE).

Durante o encontro, a secretária de Estado de Educação destacou que conta muito com a colaboração da equipe, sobretudo dos superintendentes regionais, para efetivar uma convivência marcada por uma relação de respeito e de cooperação. “Este momento inicial é de teste, de início de uma jornada. Estamos, mutuamente, sendo avaliados e espero contar com a franqueza e a colaboração de todos. O plano de governo já sinaliza as prioridades para a educação, mas todos nós poderemos contribuir muito na construção das políticas públicas, das estratégias. Nós seremos os principais atores”, enfatizou a secretária.

Prioridades
Em Minas, foi implantado o Plano Intervenção Pedagógica (PIP) nas séries iniciais do ensino fundamental (do primeiro ao quinto ano). Ana Lúcia Gazzola destacou que embora os resultados dessa primeira fase sejam muito expressivos, é necessário implantar a fase II do programa e atender às séries finais do ensino fundamental (do sexto ao nono ano). “Não podemos nos contentar com os bons resultados conquistados e estagnar. Precisamos ser movidos por uma inquietação permanente na busca do aprimoramento, da melhoria contínua”, enfatizou.

Outra questão a ser imediatamente enfrentada é a criação de uma Escola de Formação. O projeto vai implantar estratégias e mecanismos de treinamento para qualificar a formação de todos os profissionais do sistema de educação do Estado.

A terceira prioridade apontada pela secretária foi o enfrentamento da evasão no ensino médio. Para ela, “a evasão é uma tragédia para o país. De cada três alunos que começam no ensino médio, apenas um ingressa no terceiro ano. Temos que reverter este quadro".

E a quarta prioridade apontada por Ana Lúcia Gazzola é a articulação com os municípios. A secretária defendeu a necessidade de dialogar com os sistemas municipais. “Só dessa forma estaremos enfrentando a questão da educação em todo o Estado”, definiu.

Subsídio
Na segunda parte do Encontro Gerencial, a secretária abriu um espaço de diálogo com os servidores presentes e tirou as principais dúvidas sobre o novo sistema de remuneração. Durante a conversa com os servidores, Ana Lúcia Gazzola apontou a importância da adesão ao sistema de subsídio. Ela ressaltou que ninguém vai perder com a mudança de sistema e a adoção pela remuneração por parcela única representa um ganho de pelo menos 5%. “A orientação do governador é de que ninguém pode perder. Em nenhum modelo ninguém perde. É de interesse do governo que os servidores optem pelo subsídio, porque representa ganhos para o servidor e também operacionais”, explicou a secretária.

Uma das preocupações dos servidores foi em relação aos benefícios ainda não incorporados. Segundo a secretária, o sistema de remuneração por subsídios vai tomar como base a folha de pagamentos do mês de dezembro. Contudo, todos os benefícios adquiridos até o final de 2010 serão acrescidos posteriormente. “O que não existiu no pagamento de 2010 também não vai existir agora, pois a referência é dezembro de 2010. Qualquer vantagem a qual as pessoas tiverem direito virá, mas virá depois”, explicou a secretária.

Bem recebida
Em sua primeira reunião com os superintendentes regionais de Ensino, a secretária Ana Lúcia Gazzola foi muito bem recepcionada. Aberta para o diálogo, a secretária respondeu todas as questões e passou uma boa impressão para os superintendentes. “Ficamos muito satisfeitos com a postura da secretária, pois ela apresentou de forma clara as questões relativas ao subsídio. É muito importante ouvir esse discurso da própria secretária, pois dá mais segurança para sanar as dúvidas dos servidores da minha superintendência”, analisa a superintendente regional de Ensino de Manhuaçú, Maria Geralda Vilela.

Ouvidoria
Outro tema discutido no Encontro Gerencial foi a Ouvidoria da Educação. A apresentação direcionada aos superintendentes e técnicos do quadro de pessoal das Superintendências Regionais de Ensino (SREs) foi coordenada pela ouvidora da Educação, Maria Auxiliadora Campos Araújo Machado, com a participação da diretora de Atendimento da Ouvidoria Geral do Estado de Minas Gerais, Mônica Barros Monteiro.

Durante o encontro, os profissionais da educação discutiram a importância da Ouvidoria Geral e especificamente a da Educação como um canal direto de comunicação do cidadão com o governo. O órgão atende a manifestações de um público diversificado como professores, alunos, pais e comunidade. Dentre as demandas recebidas pela Ouvidoria da Educação, a maior parte é direcionada às relações entre professores, alunos e familiares.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.