terça-feira, 4 de Agosto de 2015 12:48h Agência Minas

Em Curvelo, governador defende modelo de governo participativo e inclusão das demandas no PPAG

Quase 500 pessoas acompanharam a instalação do Fórum Regional do Território Central. NA solenidade, modelo de "ouvir para governar" foi ressaltado por Pimentel

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, ressaltou durante o lançamento do oitavo Fórum Regional de Governo, no Território Central, nesta terça-feira (4/8), em Curvelo, a necessidade da população de cada uma das 17 regiões do Estado comparecer às rodadas de participação para auxiliar o governo na elaboração do Plano Plurianual de Ações Governamentais (PPAG).

“Vai ser discutido com vocês ponto por ponto as demandas da região, porque isso vai ser incorporado no Plano Plurianual de Ação Governamental. É o plano que a Assembleia aprova e que regula o investimento do Estado nos próximos dois anos. Por isso, é importante vocês participarem dessas decisões, porque depois temos de executar”, afirmou.

Neste primeiro ano, os Fóruns têm como objetivo levantar prioridades de cada território, para orientar a elaboração do PPAG, que será apresentado à Assembleia já neste semestre.

Para uma plateia de quase 500 moradores de Curvelo e dos 17 municípios que integram o Território Central, Pimentel disse confiar no modelo de gestão escolhido por sua administração. “Tem muita gente que é contra esse modelo. Mas é o jeito que nós fazemos, que é chegar perto, ouvir, escutar críticas quando são verdadeiras e sinceras, ter a sinceridade e falar a verdade”, destacou.

Fernando Pimentel relembrou em seu discurso algumas das ações já desenvolvidas nestes primeiros meses de gestão. Além da retomada das obras, ele também relembrou o acordo histórico assinado com os professores para o pagamento do Piso Nacional da educação.

“Estamos fazendo um esforço extraordinário. Nós negociamos com os professores do Estado e atendemos uma reivindicação histórica deles, que era o pagamento do piso salarial nacional. Quando tem dificuldade, temos de descobrir um jeito de resolver. Nós descobrimos, com tolerância, com diálogo. Já pagamos uma parcela, ano que vem vamos pagar mais, e até 2017 todos os professores do Estado estarão recebendo o piso. É mais do que justo”, afirmou o governador.

Pimentel deixou claro não ser possível governar sem ouvir as pessoas. “E, para escutar, você tem de regionalizar. O Estado é muito diferente, Minas são muitas. Dividir o Estado em regiões é reconhecer a essência de Minas, a alma profunda de Minas que está em cada região, respeitar a cultura de cada região, chegar perto das pessoas”, salientou.

Adesões

Durante a parte da manhã, quando foi oficialmente instalado o Fórum Regional de Governo, lideranças políticas e de movimentos sociais da região e de todo o Estado demonstraram apoio à determinação do governador de regionalizar as ações do Estado e dividi-lo em 17 regiões para ouvir melhor a população.

Representando os movimentos sociais, o presidente da Federação dos Pescadores e Aquicultores de Minas Gerais, Valtim Quintino da Rocha, afirmou que, com a chegada do governador Fernando Pimentel, não será mais preciso esperar tanto tempo para que as demandas do setor sejam atendidas. “Na gestão anterior, tivemos uma grande dificuldade no setor da pesca em Minas. Não conseguimos falar nem com os secretários. Quero parabenizar o governo pela iniciativa, os pescadores abraçaram a causa, esperamos há 16 anos para apresentar nossas demandas”, disse.

Prefeito de Três Marias, Vicente de Paulo Resende também defendeu a iniciativa do governador em ouvir as diferentes regiões do Estado. “Tenho certeza que ninguém mais terá de esperar mais 12 anos para ser recebido pelo governo”, completou.

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas, Adalclever Lopes, salientou em sua participação que o Executivo pode contar com o apoio do Legislativo para desenvolver as ações e definições dos fóruns. “O senhor cumpre rigorosamente com seu compromisso de campanha. Vindo aqui na região, o senhor faz isso, ouve para governar e prioriza o que é necessário, mesmo com toda a dificuldade. O senhor está fazendo um projeto para que os recursos do Estado sejam rigorosamente aplicados nas necessidades dos mineiros”, disse.

O deputado federal Gabriel Guimarães também comemorou a presença do governo na região. “Temos aqui a construção de um trabalho que tem dado resultados para toda a região. Temos muito a fazer e quero estar ao seu lado, governador, nessa construção coletiva”, afirmou.

Também participaram da instalação do Fórum em Curvelo secretários de Estado, representantes de associações municipais da região, deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores, além de lideranças de diversos movimentos sociais.

Segunda etapa

Na parte da tarde, o secretário-adjunto de Planejamento do Estado, Wieland Silberschneider, representantes de secretarias e órgãos do Estado e de movimentos sociais se reuniram com morados de Curvelo e do Território Central para explicar o funcionamento dos fóruns.

Os participantes receberam formulários com informações e já podem incluir suas demandas para serem entregues ao governo. No próximo encontro, serão definidos os integrantes da comissão responsáveis por elencar as propostas para o PPAG. Demandas sobre segurança pública, a situação das penitenciárias, a mortalidade infantil e o ensino superior já foram colocadas pelos presentes.

O secretário de Estado de Governo, Odair Cunha, em apresentação para os participantes do encontro, informou que a comissão do Território Central será composta por três representantes da sociedade civil organizada, três da sociedade civil não-organizada, um prefeito, um vereador, além de integrantes dos Legislativos e Executivos estadual e federal. Os representantes da sociedade civil serão maioria nos colegiados executivos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.