terça-feira, 29 de Março de 2016 11:21h

Emater-MG amplia assistência técnica a famílias rurais reassentadas pela mineradora Anglo American

Trabalho beneficia famílias desapropriadas para implantação do Sistema Minas-Rio

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) se prepara para mais uma fase do trabalho com as famílias rurais reassentadas pela Unidade de Negócio Minério de Ferro Brasil, da mineradora Anglo American. As ações fazem parte do segundo contrato de prestação de serviços entre a empresa pública mineira e a mineradora britânica, assinado no fim do ano passado. O trabalho da Emater-MG irá beneficiar 56 famílias da região de influência do chamado Sistema Minas-Rio, que abrange os municípios de Conceição do Mato Dentro, Alvorada de Minas, Serro, Dom Joaquim e Congonhas do Norte.

 



“São famílias reassentadas pela mineradora, em função da desapropriação de suas áreas de origem, para implantação de uma mina de extração de minério de ferro, em Conceição do Mato Dentro, e do mineroduto que bombeia o minério até um porto do Rio de Janeiro, para exportação”, explica o coordenador técnico estadual da Emater-MG, Cláudio Augusto Bortolini. De acordo o coordenador, no contrato anterior, o foco inicial era a realocação das famílias. “No primeiro momento, elas receberam moradias, água, luz, titularidade das suas áreas pela Anglo, e assistência técnica diferenciada pela Emater-MG. Neste segundo contrato, o trabalho será ampliado”, afirma.

 

 



Além da assistência técnica, a Emater-MG vai trabalhar pela inserção dos reassentados junto às comunidades municipais, impactadas pelas atividades da mina. “Vamos por exemplo, saber se elas estão tendo acesso às linhas crédito, como o Pronaf; o que elas estão produzindo, comercializando; se têm acesso aos mercados institucionais como  Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa Nacional de fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Enfim, vamos verificar uma série de questões que, se trabalhadas, vão incentivar o desenvolvimento comunitário dessas famílias”, argumenta o coordenador da Emater-MG.

 

 



Como no primeiro contrato com a mineradora Anglo American, a Emater-MG vai utilizar novamente a metodologia ISA (Índice de Sustentabilidade Ambiental), desenvolvida em parceiria com Epamig e outras instituições, para avaliação da evolução do desenvolvimento socioeconômico e ambiental das novas propriedades destas famílias. O coordenador técnico regional da Emater-MG, Geraldo Durães, explica que o índice vai permitir a comparação das condições sociais, ambientais e produtivas das famílias no início do reassentamento e após os investimentos e intervenções previstas no contrato. O objetivo é comparar os dados atuais com os anteriores, para o planejamento de novas ações.

 

 



“Isso vai permitir traçar um perfil desses assentados e ter um resultado que poderá ser utilizado para fazer projetos melhores, que contemplem o respeito ao meio ambiente e a qualidade de vida social e de renda dessas pessoas”, argumenta Durães. Segundo o coordenador regional, já está em pauta a elaboração de um plano de desenvolvimento para duas comunidades que estão na área de influência direta da mineração. São os distritos de Córregos, em Conceição do Mato Dentro e o de Itapanhoacanga, em Alvorada de Minas. “O plano visa mitigar os impactos da atividade mineradora, contemplando aspectos da condição social, infraestrutura e projeto produtivo. Quando estiver pronto, entregaremos para a comunidade fazer a gestão”, explica, acrescentando que todas as ações serão debatidas com os beneficiários.

 

 



Pecuária

Na próxima quinta-feira, 31 de março, será realizado um dia de campo sobre bovinocultura, na Fazenda Santo Antônio, localizada na comunidade de Córregos, em Conceição do Mato Dentro, região central do Estado. O evento começa ao meio-dia e é voltado para as famílias reassentadas pela mineradora. Serão demonstradas técnicas como o manejo de pastagem no sistema rotacionado e o preparo de alimentação que será fornecida ao gado, no período de seca.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.