terça-feira, 2 de Dezembro de 2014 09:31h

Embaixador da República Tcheca visita a ALMG

Encontro dá continuidade ao processo de aproximação entre Minas Gerais e o país europeu

O embaixador da República Tcheca, Jirí Havlík, acompanhado da esposa, a embaixatriz Hana Havlíková, visitou a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta segunda-feira (1º/12/14). O encontro dá continuidade ao processo de aproximação entre Minas Gerais e a República Tcheca, iniciado em janeiro de 2013, quando uma comitiva especial de parlamentares e representantes do Governo do Estado visitou aquele país. O casal foi recepcionado pelo deputado Lafayette Andrada (PSDB), acompanhado dos deputados Duarte Bechir (PSD), João Vitor Xavier (PSDB) e Paulo Lamac (PT) – que é de origem tcheca.

Durante a visita, o embaixador fez uma explanação sobre a República Tcheca, ressaltando a qualidade de vida no país, as similaridades com Minas Gerais e os produtos de destaque na economia, como a cerveja tipo pilsen e o cristal da Boêmia. Ele afirmou que o comércio entre Brasil e República Tcheca tem crescido, movimentando cerca de US$ 800 milhões anualmente. Segundo ele, o país tem forte tradição industrial, e sua visita, que é a primeira de um representante oficial tcheco a Minas Gerais, visa a dar continuidade aos laços de diplomacia com o Estado. Jirí Havlík ainda ressaltou que visitará a cidade natal de Juscelino Kubitschek, Diamantina (Região Central do Estado), nesta terça-feira (2). Ele já esteve no Centro de Arte Contemporânea Inhotim, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que chamou de “jóia turística do Estado”, e disse que recomendará a Praga que inclua Inhotim nas visitas oficiais de delegações do país que venham ao Brasil.

“Brasil e República Tcheca têm semelhanças; temos a cerveja, o futebol, o turismo, as peculiaridades culturais, a indústria do ferro, os cristais. Com Minas Gerais, ainda há uma relação muito especial e razão extra para estreitarmos relações: a família da mãe do ex-presidente mineiro Juscelino Kubitschek é tcheca, de Trebon, cidade que hoje é irmã de Diamantina. Ficamos orgulhosos de ver a modernização que este brasileiro de origem tcheca fez no Brasil e o quanto JK é estimado - ele é um símbolo dos laços que unem Minas Gerais à República Tcheca”, declarou o embaixador.

O deputado Lafayette Andrada, que foi um dos integrantes da comitiva mineira que visitou a República Tcheca em 2013, esclareceu dúvidas do diplomata em relação à administração pública brasileira e sobre particularidades de cada uma das esferas de governo: União, Estado, município. Ele também lembrou a visita da qual participou, a fim de estabelecer parcerias econômicas e estreitar as relações binacionais. Na ocasião, a missão passou pela capital, Praga, onde participou de reunião na embaixada brasileira e também no Parlamento Nacional, além de ter visitado cidades na região da Boêmia do Sul.

“Nosso Estado e a República Tcheca têm muitas coisas parecidas. Assim como o Sul de Minas possui águas termais, lá também existem importantes termas, além de todas as semelhanças que o embaixador já citou. E há o nosso conterrâneo, o ex-presidente Juscelino Kubitschek, que é um fator ímpar de ligação e aproximação, motivo para nós e eles nos orgulharmos sempre”, destacou o deputado Lafayette Andrada.

Os parlamentares ainda entregaram ao embaixador um exemplar do livro Antônio Francisco Lisboa – O Aleijadinho, lançado pela ALMG em homenagem ao mestre do Barroco Mineiro no bicentenário de sua morte. Na sequência, ofereceram um almoço ao embaixador e à sua esposa e, após o almoço, acompanharam-nos em visita para conhecer o Memorial da Assembleia, o Plenário e o Salão Nobre.

A República Tcheca – Localizada na Europa Central, fazendo fronteira com a Polônia, a Alemanha, a Eslováquia e a Áustria, a República Tcheca foi parte da antiga Tchecoslováquia. Atualmente tem cerca de 10,5 milhões de habitantes. Sua maior e mais populosa cidade é a capital, Praga. A República Tcheca é um país de economia avançada e altos padrões de vida, classificado pela ONU como o 14º no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH ajustado à desigualdade).

O Brasil foi o primeiro pais da América Latina a reconhecer a Tchecoslováquia como país independente, em dezembro de 1918. As relações históricas entre a República Tcheca e Minas Gerais têm origem no ex-presidente Juscelino Kubitschek, cujo bisavô materno é de origem tcheca. Trebon (terra natal do bisavô de JK), na Boêmia do Sul, foi declarada cidade irmã de Diamantina pela Lei Municipal 3.800, de 2013, objetivando ao estabelecimento de intercâmbio econômico, cultural, politico e social entre as duas cidades.

As relações entre os dois países tiveram principalmente a forma de colaboração econômica, iniciada no período entreguerras, quando chegavam ao o Brasil produtos de maquinaria, cristal da Boêmia e cerveja. Até hoje esses dois últimos produtos são famosos no Brasil, e "Pilsen" - cidade tcheca que tem produção tradicional de cerveja – é a variedade de cerveja mais consumida pelos brasileiros.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.