quinta-feira, 24 de Abril de 2014 06:06h Jotha Lee

Emprego tem leve reação em mês de fechamento de vagas nas grandes cidades

Belo Horizonte, Uberlândia, Uberaba e Contagem fecharam março com saldo negativo no mercado de trabalho.

O Ministério do Trabalho divulgou na semana passada o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) relativo ao mês de março desse ano. O Caged é o termômetro do governo federal que mede o comportamento do mercado de trabalho formal no país, apresentando a variação mensal de vagas abertas e fechadas. Os dados divulgados na semana passada refletem que março foi altamente negativo para Minas Gerais, com abertura de apenas 3.791 novas vagas para trabalhadores com carteira assinada.

A boa notícia veio para Divinópolis, que teve uma leve recuperação na abertura de novos postos com carteira assinada. Nos dois primeiros meses de 2014 o município conseguiu acumular apenas 125 novas vagas no mercado formal e, em março, foram gerados 545 novos empregos na cidade. Esse saldo positivo se deve à efetivação de vários trabalhadores que foram contratados para atividades temporárias no final do ano, especialmente no setor de serviços e no comércio.
A cidade ficou em 4º lugar geral no Estado na geração de novos postos em março, superando cidades como Belo Horizonte, Uberlândia, Uberaba e Contagem, que fecharam o mês com saldo negativo. À frente de Divinópolis ficaram São Gotardo (1.181 vagas), João Monlevade (734) e Iturama (662).
Na região, Divinópolis foi a primeira colocada, seguida por Lagoa da Prata, Nova Serrana, Pará de Minas, Bom Despacho, Arcos e Formiga. As demais cidades da região fecharam o mês com saldo negativo. Oliveira foi a cidade do Centro-Oeste que mais perdeu vagas de trabalho, com 76 postos fechados, Itaúna teve 29.
No Estado, destaque negativo para Contagem que fechou 1.181 postos, seguida por Uberaba, com 591, e Uberlândia, com 329. Belo Horizonte, que também encerrou março com saldo negativo, fechou 246 postos de trabalho.

 

SETORES
Os setores que mais contribuíram para o leve reaquecimento do mercado de trabalho em Divinópolis no mês de março foram o de Serviços, com abertura de 250 novas vagas, e o Comércio, com 216. O setor de serviços continua sendo o maior empregador da cidade, com 20.711 pessoas trabalhando com carteira assinada. A seguir vem a Indústria de transformação, que emprega 15.997 pessoas, seguida do comércio, com 15.386 empregados com carteira assinada.
Divinópolis fechou 2013 com saldo positivo de apenas 257 vagas no mercado formal de emprego. Resultado muito ruim, se comparado a 2012, que fechou com 1.179 vagas, queda de 78,20% na comparação entre os dois anos. Foi também o pior desempenho do mercado de trabalho na cidade desde 2008.
O saldo ruim do ano passado se deve ao comportamento negativo de alguns setores, que sempre contribuíram de forma decisiva na abertura de vagas, como por exemplo, a construção civil que fechou 2013 com queda de 4,1% na geração vagas. O setor de serviços, o maior empregador do município, também teve desempenho insignificante, com crescimento de apenas 0,97% e o comércio expandiu apenas 2%.
Veja o comportamento dos setores que determinaram o fraco desempenho de Divinópolis na abertura de novas vagas em 2013,:
 

As informações do acumulado de 2013 foram atualizadas com os dados declarados fora do prazo pelo Ministério do Trabalho na semana passada.

 

Crédito da foto : Jotha Lee

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.