quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2014 06:50h

Empresas anunciam novos investimentos em Minas com foco em tecnologia

Protocolos assinados com assistência do Instituto de Desenvolvimento Integrado (INDI) somam R$ 290 milhões.

A produção de componentes semicondutores, de máquinas e peças para a indústria de veículos, a implantação de uma indústria esmagadora de soja e a expansão de uma empresa de ingredientes para sorvetes e confeitarias são os novos investimentos que acabam de ser anunciados através da assinatura de quatro protocolos de intenções com o Governo de Minas Gerais, por meio do Instituto de Desenvolvimento Integrado (INDI), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE). Com um total de mais de R$ 290 milhões em investimentos, principalmente em tecnologia, os empreendimentos estão localizados em Extrema, Juatuba, Uberaba, e Sete Lagoas.

Tornar a tecnologia mais acessível a um maior número de pessoas é o objetivo da Multilaser Indústria de Equipamentos de Informática, Eletrônicos e Ópticos Ltda que está investindo R$ 74,45 milhões para implantar em Extrema, no Sul de Minas, uma unidade industrial destinada à fabricação inicial de 500 mil chips de memória (nand flash e dram) por mês. A empresa, que já produz dois milhões de produtos eletrônicos por mês, tem mais de dois mil colaboradores divididos entre a matriz, em São Paulo, e o complexo industrial em Extrema, aonde serão gerados 300 novos empregos diretos.

Durante a assinatura do protocolo, o diretor da Multilaser, Renato Feder, explicou que a empresa quer aumentar os negócios com a marca própria. “A partir de maio deste ano iremos fabricar a memória básica para tablets e celulares. Posteriormente, quando deveremos atingir a capacidade de um milhão de peças por mês de circuitos integrados elas serão destinadas também para smart phone e pen drivers da marca Multilaser. Por outro lado, a produção própria significará que teremos redução de custo e melhoria de qualidade ao utilizarmos nossas próprias memórias”, salientou.

O diretor da Multilaser informou ainda que se trata da memória flash cujo insumo (wafer de silício) será importado do Japão, de Taiwan e da Coréia do Sul e permitirá tablets mais acessíveis ao mercado consumidor brasileiro. “Nossos produtos têm um preço que varia de R$ 300,00 a R$ 700,00. Como estamos ampliando nosso leque de produção com tecnologia e qualidade teremos condições de explorar melhor o mercado e enfrentar a concorrência”, destacou.

Em 1987, a Multilaser Industrial S.A iniciou sua trajetória como a primeira indústria de cartuchos de impressão do país. Em 2007 inaugurou um complexo industrial em Extrema. Em 2013 ingressou no segmento de brinquedos. Seu portfólio está dividido em seis linhas: eletrônicos; telefonia celular; acessórios de informática; mídias; impressão; brinquedos; acessórios de informática; eletrônicos de consumo; telefonia celular; mídias digitais; suprimentos para impressão e brinquedos.

Para a produção de componentes semicondutores, a Multilaser Industrial S.A., constituiu uma nova empresa, a Multilaser Indústria de Equipamentos de Informatica, Eletrônicos e Ópticos Ltda, da qual detêm 99,9% do capital. A distribuição dos seus produtos abrange todo o Brasil, sendo feita através de uma rede com mais de vinte mil revendas e distribuidores.

Atenta ao aumento de vendas de tablets e celulares no mercado brasileiro, a Multilaser desenvolveu sistemas de controle de qualidade específicos para estes departamentos. Depois de montados, todos os tablets, por exemplo, funcionam por 4 horas ininterruptas, testando filmes, músicas, fotos e internet. Nos celulares, as baterias que antes iam dentro do aparelho para agilizar o uso pelo cliente passaram a ir fora (evitando riscos de descarregamento); e a empresa comprou novos equipamentos de CMU para testes de sinais das operadoras e de Sim Card em 100% dos aparelhos.

 

Autopeças

Com investimento de R$ 111,97 milhões, a Tiberina MG Componentes Metálicos para Indústria Automotiva Ltda. está transferindo para Juatuba, na região central, a sua sede em Minas Gerais.  A unidade industrial funcionava, provisoriamente em Sete Lagoas, na montagem e soldagem de peças importadas para atender à fábrica da Iveco e da Fiat. Prevista para entrar em operação em junho deverá gerar 45 empregos diretos e 40 indiretos e será destinada à fabricação e comercialização de peças estruturais para carros como longarina, travessa, calanda e armação.

A Tiberina é uma empresa italiana e suas atividades envolvem a produção de máquinas, equipamentos, peças e autopeças para a indústria de veículos leves, veículos comerciais, máquinas industriais e maquinário para movimentação de cargas. Em Minas Gerais desde 2010, o grupo possui 22 plantas industriais distribuídas pela Itália, Turquia, República Tcheca, Alemanha e Argentina, que juntas possuem cerca de 3.000 funcionários.

 

Soja

A CS Agronegócios Comércio Importação e Exportação S/A, com sede em Uberaba, onde atua no setor de compra, venda, armazenagem e beneficiamento de grãos e cereais, está investindo R$ 65 milhões na expansão das suas atividades. Com o novo investimento, a empresa está instalando uma indústria esmagadora de soja. Os principais produtos serão óleo degomado para fornecimento à indústria de biodiesel no total de 20% da produção e os 80% restantes serão destinados ao farelo de soja para consumo animal.

A empresa, que irá gerar aproximadamente 80 empregos diretos e outros 220 indiretos, terá capacidade inicial para esmagar até 540 mil toneladas de soja por ano. O início da operação da fábrica está previsto para 2016. A CS está estudando também a implantação de uma unidade similar em Pirapora.

 

Sorvetes

Já em Sete Lagoas, também na região central de Minas Gerais, a SDFLC Brasil Indústria e Comércio Ltda está ampliando suas atividades com investimento de R$ 41,6 milhões em nova tecnologia para a produção de insumos para as indústrias de sorvetes, sorveterias artesanais e outras empresas do mercado de gelaterias italianas. Com capacidade de produção de 400 mil quilos de produtos por mês, a SDFLC pretende dobrar sua produção em no máximo dois anos quando as obras de expansão forem concluídas.

Durante a assinatura do protocolo, o diretor da empresa Vincenzo Simonetti explicou como o investimento está sendo direcionado. “Nossa prioridade é investir em tecnologia e na qualidade dos produtos, que já somam mais de 400. Para alcançar a qualidade, os investimentos são em novas máquinas, tanto nacionais quanto importadas”, frisou. Por outro lado, acrescentou, “este projeto possibilitará além da expansão da fábrica de Sete Lagoas, a implantação de dois laboratórios de alta tecnologia e novos maquinários, posssibilitando o crescimento da empresa em torno de 40% ao ano”.

Vincenzo Simonetti informou ainda que a SDFLC deverá lançar ainda este ano uma linha específica de 30 produtos para food service que serão  comercializados em supermercados e redes de distribuição. A expansão permitirá a geração de 15 novos empregos que se somarão aos mais de 50 empregos indiretos e outros 30 indiretos, principalmente na venda dos produtos.

Criada em 2001 a Leagel América do Sul Ltda é uma empresa brasileira, nascida da união entre Leagel Srl, que é uma das líderes europeias no mercado de ingredientes e semi-elaborados para sorvetes artesanais e confeitarias, situada na república de San Marino na Itália, e um grupo de empresários italianos, já residentes no Brasil. Em 2013, por decisão dos diretores e para se diferenciar da Leagel Srl - italiana, a empresa alterou sua razão social, passando então a se chamar SDFLC Brasil Indústria e Comércio Ltda.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.