terça-feira, 11 de Março de 2014 04:38h

Entidades se unem no combate aos crimes contra o sistema financeiro

CRCMG lança campanha para orientar o profissional da contabilidade sobre cuidados ao aceitar novos clientes.

Para atender as determinações do Controle de Atividades Financeiras (COAF), o Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais (CRCMG) assinou um termo de cooperação técnica com o Ministério Público de Minas Gerais e com a Secretaria de Estado da Fazenda, com o objetivo de estabelecer procedimentos que visem coibir crimes contra o sistema financeiro.
Além disso, o CRCMG vai lançar a campanha “Conheça o seu Cliente” para orientar o profissional da contabilidade a tomar algumas atitudes preventivas antes de aceitar um novo cliente ou um novo serviço. Segundo o presidente do Conselho, Marco Aurélio Cunha de Almeida, é prerrogativa do contador conhecer o cliente pessoalmente, evitando os contatos apenas por meio de terceiros.
“Em muitos casos, o contador realiza o trabalho tendo contato apenas com o motoboy. O profissional precisa conhecer o cliente, confirmar se naquele endereço informado a empresa atua realmente. Ou seja, o contador precisa se resguardar para evitar ser responsabilizado por crimes cometidos por terceiros”, ressalta Almeida.
O CRCMG destaca que o empresário da contabilidade deve fazer uma avaliação de risco de cada cliente e, ao identificar alguma movimentação suspeita, precisa denunciar ao COAF. “A denúncia é feita pelo sistema do COAF de maneira sigilosa”, esclarece Almeida. 

Termo de Cooperação
Esse termo de cooperação é uma iniciativa inédita no país. Com a assinatura, CRCMG, Ministério Público e Secretaria de Estado da Fazenda passarão a atuar de maneira conjunta também na adoção de medidas para identificar e investigar movimentações financeiras suspeitas, atendendo às determinações do Controle de Atividades Financeiras (COAF).
Com essa parceria, entre outros procedimentos, o CRCMG passa a ter acesso ao Sistema Integrado de Administração da Receita Estadual (Siare) o que permitirá maior fiscalização dos profissionais da contabilidade. Isso porque as três entidades passarão a compartilhar informações cadastrais, processuais, técnicas e estatísticas dos contribuintes e contadores. “Essa é uma demanda antiga do CRCMG e que contribuirá para que seja dada baixa nos registros de contadores que estão atuando de maneira irregular”, explica Almeida.
O presidente do CRCMG destaca ainda que a parceria vai resguardar o profissional contábil, isentando-o de culpa ao manifestar as suspeitas ao Ministério Público, caso algum cliente seja responsável por movimentações financeiras irregulares. “É necessário que o profissional contábil fique atento às movimentações financeiras dos clientes e se resguarde, além de contribuir para a identificação de crimes financeiros”, conclui Almeida.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.