quarta-feira, 17 de Setembro de 2014 07:28h Atualizado em 17 de Setembro de 2014 às 08:13h.

Estado de Minas Gerais terá R$ 16,7 milhões para cirurgias eletivas

Reforço financeiro beneficiará diretamente 47 municípios mineiros. Além de cirurgias de catarata e tratamento de varizes, recursos serão investidos na retirada de amígdalas. Para todo país, serão R$ 41,78 milhões

O Ministério da Saúde autorizou a liberação de R$ 16,7 milhões para a realização de cirurgias eletivas em Minas Gerais. Mais de R$ 6,8 milhões beneficiarão, diretamente, 47 municípios. Os outros R$ 9,8 milhões serão repassados para a Secretaria Estadual de Saúde. Com o reforço financeiro, o estado poderá realizar cirurgias de média complexidade que podem ser agendadas com antecedência nos serviços de saúde, como catarata, tratamento de varizes e retirada de amígdalas. Para todo país foram liberados R$ 41,78 milhões que beneficiarão a população de 254 municípios em 22 estados brasileiros. A Portaria 2.051, que estabelece o recurso, foi publicada nesta segunda-feira (15) no Diário Oficial da União e já está em vigor.

 

Essa é a terceira portaria do Ministério da Saúde em 2014 a autorizar o repasse de recursos para a realização de cirurgias eletivas. A primeira foi publicada no Diário Oficial da União no dia 19 de maio, e liberou R$ 86,84 milhões. A segunda, do dia 10 de julho, totalizou R$ 67,27 milhões. Portanto, até o momento, o total de recursos destinados para eletivas já é de R$ 195,89 milhões.

 

Para o ministro da Saúde, Arthur Chioro, os repasses de recursos possibilitam a ampliação do acesso da população ao atendimento nos estados e municípios. “O objetivo é reduzir o tempo de espera para a realização dos procedimentos e, com isso, também melhorar a qualidade de vida às pessoas que aguardam pela realização de cirurgias eletivas no Sistema Único de Saúde”, disse Chioro.

 

Do total estabelecido na portaria publicada nesta segunda, R$ 16,48 milhões serão aplicados no Componente I das cirurgias eletivas, grupo no qual estão as cirurgias de catarata. Outros R$ 7,74 milhões vão financiar os procedimentos do Componente II, que incluem atendimentos das áreas de ortopedia, otorrinolaringologia, urologia, vasculares e oftalmologia. Além disso, R$ 17,55 milhões serão destinados ao Componente III, no qual estão procedimentos eletivos definidos pelo gestor de saúde, conforme a necessidade da região. A Portaria do Ministério da Saúde estabelece que o recurso seja repassado por meio do Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (FAEC).

 

Para o estado de Minas Gerais, serão R$ 16,7 milhões ao todo, sendo R$ 6,7 milhões para o Componente I, R$ 3,5 milhões para o Componente II e R$ 6,4 milhões para o Componente III.

 

ATENDIMENTOS – De acordo com dados do Ministério da Saúde, em 2013, foram realizadas mais de 2,2 milhões de cirurgias eletivas no país, ao custo de R$ 1,2 bilhão. Deste valor, R$ 712,7 milhões foram transferidos para o Teto Financeiro de Média e Alta Complexidade dos estados e municípios e R$ 498 milhões por meio do FAEC.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.