sexta-feira, 17 de Julho de 2015 13:14h

Estado garante recursos para Hospital de Januária

Com decreto de Estado de Emergência Sanitária e um déficit financeiro de R$ 1,2 milhões, o hospital de Januária, que atende uma microrregião composta de sete municípios, encontra-se sucateado

Com decreto de Estado de Emergência Sanitária e um déficit financeiro de R$ 1,2 milhões, o hospital de Januária, que atende uma microrregião composta de sete municípios, encontra-se sucateado, sem material médico-hospitalar e equipamentos que levaram a suspender as cirurgias eletivas. O secretário de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais, Paulo Guedes, atendendo, mais uma vez, ao pedido do prefeito de Januária, Manoel Jorge de Castro, foi o interlocutor, nesta quinta-feira (16), junto à Secretaria da Saúde, para conseguir aporte financeiro para o hospital.
Além da liberação dos recursos do Pro-Hosp – cerca de R$ 780 mil - também será reajustado o repasse destinado à urgência e emergência, de R$ 40 mil para R$ 100 mil. Esse aporte será disponibilizado após a regularização junto ao Cadastro Geral de Convenentes (CAGEC) e a Vigilância Sanitária. As equipes de intervenção sanitária já estão trabalhando para colocar a documentação em dia e a previsão é que o dinheiro esteja disponível na próxima semana.
Durante o encontro o prefeito Manoel Jorge apresentou ao secretário de Saúde, Fausto Pereira, o déficit orçamentário, que vem desde gestões anteriores, e a necessidade da intervenção financeira do Estado, durante seis meses, para desafogar as contas municipais e possibilitar a reestruturação do hospital.
Para Paulo Guedes, a força-tarefa criada entre o estado e a prefeitura está cumprindo o seu dever de casa. “As intervenções da força-tarefa já estão rendendo bons frutos, foram feitas renegociações de contratos e redução da folha de pagamento em R$ 100 mil. Mas, a decadência da estrutura de saúde dificulta um atendimento de forma digna. É necessária a intervenção financeira do Estado para dar fôlego até se restabelecer a normalidade”, declara.
Segundo secretário Fausto Pereira, a questão da saúde de Januária é prioridade para o Governo. “Vamos fazer um levantamento para ver o que o município tem de recurso para receber. No caso do Pro-Hosp, por exemplo, é preciso estar com toda documentação regularizada, para que o recurso seja liberado. Com a documentação em dia é possível liberar o recurso na semana seguinte”, conclui.
Ao final da reunião, o prefeito Manoel se mostrou confiante com as deliberações. “Vejo que agora a coisa vai funcionar. A gente não tinha nem esperança de receber esses recursos tão rapidamente. Agora podemos acreditar que Januária vai ter uma saúde de qualidade e em tempo recorde”, comemora.
Participaram também da reunião o diretor de Políticas e Gestão Hospitalar da Secretaria de Estado de Saúde, Danilo Matos; o assessor de gabinete do Idene, Fernando Sette; o prefeito de São Francisco, Luiz Rocha Neto; o secretário interventor adjunto da equipe de Intervenção Sanitária, Sílvio Luiz Borém Pereira; a assessora jurídica do Cisrun/Samu Macronorte, Kely Cristina de Moura Lacerda; o diretor do Samu Macro Norte, Manasses Gonçalves; e enfermeira da gerência regional de Saúde, Rosyane Alves Oliva.
Equipe de intervenção sanitária
Para reestruturar a saúde e viabilizar a regularização da prestação de serviços em Januária, foram criadas, em caráter emergência, duas equipes estratégicas de execução e assessoramento, com técnicos especializados, para substituir os servidores que ocupavam os postos de trabalho na saúde. A equipe responsável pela execução composta por cinco profissionais, cedidos pela secretaria de Estado de Saúde, com ônus para o município. Já, a outra responsável pelo assessoramento é constituída de um técnico cedido pela gerência regional de Saúde de Montes Claros e dois profissionais do Cisrun/Samu Macronorte, sem ônus para o município.

 

Créditos: Carla Moraes/Sedinor MG

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.