terça-feira, 11 de Janeiro de 2011 00:00h

Estado lidera em propriedades aptas a exportar para UE

Minas Gerais lidera a lista de propriedades que exportam para a União Europeia (UE) desde 2008, sendo o estado que possui o maior número de propriedades aptas a exportar carne no país com 566 estabelecimentos rurais rigorosamente rastreados, autorizados a fornecer animais para frigoríficos exportadores. Esse número representa 26 % das 2.210 propriedades em todo o Brasil e mantém o Estado no primeiro lugar, seguido de Goiás com 23%, e Mato Grosso com 20%.

Minas foi o estado pioneiro na implementação do serviço de rastreabilidade em 2008. Mesmo com a implantação e evolução deste serviço nos demais estados, permanece com o maior número de propriedades exportadoras.

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) realizou em 2010, auditorias em 310 propriedades cadastradas no Sistema de Identificação e Certificação de Bovinos e Bubalinos (SISBOV). Desse número, 255 propriedades foram consideradas aptas para a exportação à União Europeia.

O IMA conta com 24 equipes formadas por 48 profissionais devidamente treinados para realizar as auditorias nas fazendas. Essas equipes realizaram as 310 auditorias nas propriedades do SISBOV e mais 855 vistorias em propriedades que exportam para países menos exigentes, pois não têm a rastreabilidade como quesito obrigatório, totalizando 1.165 propriedades aptas à exportação incluindo para UE e outros países fora do continente europeu.

O bloco europeu possui exigências diferenciadas e por isso nem sempre quem comercializa com outros países pode comercializar com a UE, é preciso passar por auditorias antes de entrar na lista que classifica a propriedade como apta.

SISBOV
O SISBOV é um Sistema de Identificação e Certificação de Bovinos e Bubalinos e tem com objetivo controlar o processo produtivo dentro das propriedades rurais de bovídeos.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimentos (Mapa) é o responsável pela coordenação nacional do Sisbov, e o IMA pela coordenação estadual do serviço.

A adesão ao Sisbov é voluntária, mas para alguns mercados, principalmente o da União Europeia, a rastreabilidade é obrigatória. O produtor interessado em ter sua propriedade auditada pelo IMA deve solicitar o cadastramento a uma empresa certificadora credenciada pelo Ministério da Agricultura.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.