segunda-feira, 7 de Outubro de 2013 09:32h

Estado recebe R$ 30 milhões do Instituto EBX em benfeitorias e acervos do Museu das Minas e do Metal

Estado recebe R$ 30 milhões do Instituto EBX em benfeitorias e acervos do Museu das Minas e do Metal

Minas Gerais irá receber do Instituto EBX o repasse completo e irrestrito de todos os acervos materiais e imateriais do Museu das Minas e do Metal (MMM), até 30 de novembro de 2013. Essa decisão é decorrente da não revalidação do convênio entre o Instituto EBX  e o Governo do Estado. O Instituto, responsável pelos investimentos socioculturais do Grupo EBX, em atendimento às orientações centrais da holding, optou pela não continuidade da parceria com o Estado, em função da reestruturação por que passa o Grupo EBX.

O repasse de acervos compreende, além de toda a reforma no prédio tombado da ex-Secretaria de Estado de Educação – que faz parte do Circuito Cultural Praça da Liberdade –, o capital intelectual de concepção e estratégia do espaço – inclusive nome e marca –, know-how de operação e logística do museu, equipamentos, mobiliário, tecnologias, plataformas de web, acervos museológicos, dentre outros bens. O valor total do repasse é estimado em R$ 30 milhões.

O Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, já está em negociação com novos parceiros. A perspectiva é de que o MMM comece o mês de dezembro sob nova chancela. “Até a transição, o Governo de Minas garante a manutenção e pleno funcionamento do Museu das Minas e do Metal”, afirma a secretária de Estado da Cultura, Eliane Parreiras.

Sobre o Museu das Minas e do Metal

O Museu das Minas e do Metal foi o segundo equipamento a ser aberto no Circuito Cultural Praça da Liberdade. Sua proposta museológica foi concebida para destacar a marcante relação da história e das expressões culturais do Estado de Minas Gerais com a riqueza de suas minas e recursos naturais.

O MMM surpreende por seu acervo digital, presente em boa parte das 44 atrações, distribuídas em 18 salas. Ao longo da visita, o frequentador se surpreende com a possibilidade de interação e descoberta de novos conteúdos. Química e mineralogia, assuntos muitas vezes considerados complexos, são contados de maneira lúdica por personagens criados com recursos tecnológicos.

O prédio conta, ainda, com recursos estruturais para inclusão das pessoas com mobilidade reduzida. Funcionando desde março de 2010,o Museu das Minas e do Metal já recebeu mais de 210 mil visitantes.  E, até ao final do ano, a expectativa é de que mais 15 mil pessoas visitem o espaço.

Sobre o Circuito Cultural Praça da Liberdade

Localizado na região centro-sul de Belo Horizonte, o Circuito Cultural Praça da Liberdade é, atualmente, o maior complexo cultural do país. Ao todo, são nove espaços e museus em funcionamento: Arquivo Público Mineiro, Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, Centro Cultural Banco do Brasil, Centro de Arte Popular Cemig, Espaço do Conhecimento UFMG, Memorial Minas Gerais Vale, Museu das Minas e do Metal, Museu Mineiro e Palácio da Liberdade, além das atividades do Inhotim Escola, que ocorrem paralelas às obras de sua sede.

Além desses, outros sete espaços já estão em processo de implantação: a Casa Fiat de Cultura, o Centro de Referência da Economia Criativa Sebrae-MG, o Centro de Ensaios Abertos, a Escola de Moda e Design da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), a sede do Inhotim Escola, o Museu Automóvel e um centro de referência da música. A proposta, segundo a gerente executiva do Circuito, Cristiana Kumaira, é fortalecer o complexo no contexto cultural mundial. “Já estamos caminhando nesse sentido e cuidando para que as atividades, serviços e atendimento atendam às necessidades e expectativas não só da população local, mas também de turistas que vêm a Belo Horizonte de várias partes do mundo. O Circuito vem se firmando como mais um motivo de orgulho para os mineiros”, enfatiza.

Inaugurado em 2010, o Circuito Cultural Praça da Liberdade foi criado com o objetivo de explorar a diversidade cultural – com opções interativas e abertas ao público – em uma área de enorme valor simbólico, histórico e arquitetônico de Belo Horizonte. A oportunidade surgiu com a transferência da sede do Governo de Minas Gerais para a Cidade Administrativa, no bairro Serra Verde. Adaptados, os antigos prédios das secretarias abriram suas portas e passaram a abrigar museus e espaços culturais.

O Circuito Cultural Praça da Liberdade é cogerido pelo Instituto Sérgio Magnani desde junho de 2012, por meio de parceria firmada com o Governo de Minas Gerais, e alguns dos museus/espaços são administrados por empresas privadas, que realizam investimentos na recuperação do patrimônio e na manutenção dos prédios. Segundo Kumaira, este modelo de parceria público-privada possibilita que grandes empresas participem e contribuam efetivamente com o avanço cultural da cidade. “Mais que realizarem suas atividades fins, os parceiros investem na implantação e manutenção de museus, espaços de aprendizagem, salas de exposições e espetáculos, além de centros de memória que consolidam a história de Minas Gerais, apresentando-a de forma gratuita ou a preços populares”, contextualiza.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.