terça-feira, 2 de Junho de 2015 11:00h

Estado reforça ações preventivas integradas para o combate a incêndio

Defesa Civil e Secretaria de Estado do Meio Ambiente estão mobilizadas para enfrentar o período das queimadas e da seca

Orientações à comunidade e aos municípios, reforço de equipes de combate à incêndios com novos equipamentos e recursos humanos, além da distribuição de cestas básicas. Essas são algumas das medidas adotadas pelo Governo de Minas Gerais para o enfrentamento da seca que já fez 98 municípios decretarem situação de emergência, nos últimos dias. As ações são integradas e envolvem secretarias e órgãos das administrações direta e indireta.
A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), por exemplo, tem trabalhado em várias frentes, segundo o secretário executivo Tenente-Coronel Ronilson Caldeira. A prioridade, de acordo com ele, tem sido o atendimento às comunidades mais afetadas com a distribuição de alimentos. Nos últimos dois meses foram distribuídas 8 mil cestas básicas para famílias do Norte de Minas, Vales do Jequitinhonha e Mucuri. A operação caminhão pipa está em planejamento.
Além disso, a Cedec prioriza as atividades preventivas de orientação aos municípios a fazerem o cadastro prévio junto ao Ministério da Integração Nacional, sem o qual não podem acessar o Sistema Integrado de Informação de Desastres (s2id) nem solicitar a homologação e reconhecimento da situação de emergência. “Muitas prefeituras desconhecem essas etapas, principalmente as de cidades pequenas. O nosso trabalho tem sido auxiliar o servidor municipal a preencher o cadastro e mantê-lo atualizado”, afirma o tenente coronel Ronilson.

Situação de emergência
A situação de emergência segue o seguinte processo: o município decreta, o Estado homologa e a União reconhece. Seguindo essas etapas, as cidades podem ser contempladas com ajuda do poder público estadual e federal. Mas o secretário executivo da Cedec ressalta que “o papel do Estado é reforçar as ações dos municípios que são responsáveis pelas demandas de primeira hora das comunidades”.
A Cedec oferece aos municípios ainda, todo mês, curso gratuito de treinamento e capacitação básica em defesa civil que inclui orientações sobre o Sistema Integrado de Informação de Desastres (S2id). Maiores informações e inscrições na página www.defesacivil.mg.gov.br

Prevenção
O tempo seco também acende o alerta das equipes da prevenção e combate a incêndios florestais da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Semad). Segundo o diretor responsável pelo programa Previncêndio, Rodrigo Belo, o intervalo entre junho e dezembro é considerado o mais crítico e, nesse período, 408 brigadistas, contratados e treinados pelo Previncêndio, vão reforçar o efetivo das 44 unidades de conservação (parques, estações ecológicas, monumentos naturais e reservas biológicas) espalhadas pelo Estado.
Equipamentos também são de fundamental importância na logística e execução do trabalho de combate a incêndios florestais A Semad conta hoje com 2 helicópteros, três aviões de monitoramento de focos de chamas e uma aeronave para transporte de pessoas. A compra de 36 moto-bombas com capacidade para 500 litros de água e o aluguel de 10 aviões Air-Tractor para lançamento de água estão em fase de licitação.
“Temos trabalhado para melhorar, de forma gradativa, a estrutura de prevenção e combate a incêndios florestais no Estado e contamos com importantes parceiros como a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar, que reforçam as medidas adotadas pela Semad”, afirma Rodrigo Belo. Para ele, a expectativa é que, este ano, a incidência de queimadas seja menor do que a registrada em 2014, explicando que “a seca tem sido mais severa, mas a chuva tem vindo fora de época e existe uma maior ocorrência ao longo do ano.”

Alerta a comunidade
Com pequenas atitudes a comunidade também podem ajudar no trabalho de prevenção :
- Evitar a queima lixo e colocar fogo na vegetação.
- Evitar o manuseio de produtos e equipamentos que possam gerar fagulhas e incêndios, como balões, foguetes e pontas de cigarro.
- Em caso de início de incêndio, acionar as autoridades o mais rápido possível nos telefones: 193 (bombeiros) e 0800.283.23.23 (Previncêndio). As ligações são gratuitas.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.