quarta-feira, 18 de Junho de 2014 08:13h

Estado vai reunir propostas para transporte sobre trilhos entre o Centro de BH e Aeroporto Internacional

Além de beneficiar passageiros e turistas, intenção da nova tecnologia é atender necessidade de melhorias da mobilidade urbana na Região Metropolitana

O governador Alberto Pinto Coelho autoriza nesta quarta-feira (18/06), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, o lançamento de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para o Transporte Metropolitano sobre Trilhos entre o Aeroporto Internacional Tancredo Neves e o hipercentro de Belo Horizonte. A intenção é colher propostas para definição da melhor alternativa de tecnologia para melhorar a mobilidade urbana do Vetor Norte da Região Metropolitana.

O PMI é uma consulta geral, de que podem participar empresas, universidades e pessoas físicas para, nesse caso, sugerir alternativas para melhoria da mobilidade urbana. O Governo de Minas consulta a sociedade para definir a melhor alternativa, aquela que conjugar o melhor custo-benefício para a própria sociedade.

Ser transporte sobre trilhos é uma exigência do procedimento, já que este tipo de transporte possui uma capacidade volumétrica média/alta, ou seja, pode levar mais pessoas do que outros tipos de modais. Além disso, ao não passar pelo trânsito convencional, o transporte sobre trilhos oferece mais confiabilidade do tempo de deslocamento. Isso significa que uma pessoa, ao sair do centro de Belo Horizonte em determinado horário, saberá, com segurança, o horário que chegará ao aeroporto ou ao seu destino.

Também é exigência do PMI que o sistema seja integrado ao MOVE (BRT), às linhas de ônibus existentes na região e ao próprio metrô, observando os projetos de sua expansão.

 

 

 

Traçado deve ser definido

O PMI está oferecendo como opção de saída do transporte sobre trilhos o local onde hoje é a atual rodoviária de BH. Próxima a ela está uma estação do metrô e há a interligação com o MOVE. Mas o PMI poderá optar por um local diferente, desde que contemple o hipercentro da capital mineira e tenha como  destino final o Aeroporto Internacional.

No final do procedimento, deverá haver uma definição sobre o traçado dos trilhos e os locais por onde o meio transporte deverá passar. O projeto deverá respeitar algumas premissas, como a redução o tempo de viagem e do custo, contemplar menor interferência nas vias existentes e planejadas e ter uma conectividade com a Cidade Administrativa. Tudo isso, complementando a rede de transporte atual, sendo viável econômica e financeiramente e sustentável, de acordo com as necessidades ambientais da região.

O PMI será concluído em 120 dias. Nesse período, o governo decidirá qual a melhor tecnologia para esse projeto. O procedimento tem prazos específicos. Até 45 dias, por exemplo, os interessados deverão entregar ao Governo de Minas os estudos prévios (as opções de melhores tecnologias, melhor traçado etc). A partir disso, o Governo define quais estudos deverão continuar sendo feitos até a definição em 120 dias.

Feita a definição, será elaborado o projeto executivo, que definirá a forma, os custos, as responsabilidades. Só a partir daí será possível falar de prazos e custos finais do projeto, que deverá ser desenvolvido por uma Parceria Público-Privada (PPP).

 

 

Vetor Norte é transformado

Nos últimos anos, o Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte passou por uma verdadeira transformação graças ao planejamento e as ações do Governo de Minas.

Primeiro, o Governo de Minas, em parceria com a Prefeitura e o Governo Federal, possibilitou a duplicação da Avenida Antonio Carlos. Depois, com a Linha Verde, que incluiu a restauração da Avenida Cristiano Machado e as intervenções na MG-010, o acesso ao Aeroporto Internacional foi melhorado.

Ao mesmo tempo, a transferência dos principais voos para o Aeroporto Internacional, a partir de 2005, e o planejamento realizado pelo Governo de Minas para o Aeroporto, fizeram com que a movimentação de passageiros saltasse de cerca de 360 mil, em 2003, para mais de 10 milhões, em 2013. A Cidade Administrativa também possibilitou um novo salto de negócios e investimentos na região.

Em março último, o foi inaugurado o Aeroporto Industrial, iniciativa inédita no Brasil que recebeu investimentos de R$ 17 milhões do Governo de Minas, por meio da Codemig, para a construção e implantação da infraestrutura do espaço, localizado na área do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN). A expectativa é que entre em operação em agosto deste ano, quando o consórcio AeroBrasil assumir a operação do AITN.

Para permitir um novo acesso ao aeroporto, em 2012, o Governo de Minas começou as obras de melhoria e duplicação da LMG-800 e da MG-424. Entregue no início do mês, no prazo estipulado, as intervenções contaram com investimentos de cerca de R$ 340 milhões.

Também no início do mês, o Governo de Minas e a Gol realizaram o primeiro “voo verde” a partir do AITN. A iniciativa foi mais um passo em direção à consolidação do Programa Mineiro de Desenvolvimento da Cadeia de Valor de Bioquerosene para Aviação e o seu uso em bases econômicas, lançado em março. O objetivo é transformar o Estado na primeira plataforma integrada de produção de BioQAv no Brasil e o AITN no primeiro aeroporto “verde” do Brasil.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.