quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2014 05:27h Atualizado em 20 de Fevereiro de 2014 às 05:32h. Carla Mariela

Estatuto do Consórcio Intermunicipal para implantação do Samu em 55 municípios é aprovado

A aprovação foi realizada ontem na Secretaria Regional de Saúde com a presença de vários gestores dos municípios mineiros.

Os prefeitos de 55 municípios mineiros foram convocados para participarem da Assembleia da Fundação do Consórcio Intermunicipal de Saúde, ontem na Secretaria Regional de Saúde, por volta de 11h, situada na avenida Antonio Olimpio de Morais 2.100, bairro Santa Clara. O objetivo do encontro foi apresentar o Estatuto da proposta que implantará o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) nas cidades. Além disso, apresentar a diretoria do CIS URG Oeste, dentre outros assuntos gerais.
Este projeto para implantação do Samu é o de número 007/2014 e foi aprovado recentemente na câmara municipal de Divinópolis e na maioria das casas legislativas dos demais municípios que estão participando do consórcio. De acordo com o prefeito de Divinópolis Vladimir Azevedo (PSDB), depois de muito trabalhar ele está começando a obter os resultados, como por exemplo, a criação deste consórcio público em prol da saúde.
Para ele, efetivamente o que está sendo criado na cidade é o órgão gestor do Samu. O gestor explicou que o Samu é um sistema regional que necessita de hospitais, leitos, serviços de ortopedia, logística de transporte. “Este consórcio público vai diminuir o custo de serviço e melhorar o atendimento na saúde. Ainda vamos lançar um novo pacote de saúde em Divinópolis, preparando para abrir a Unidade Pronto Atendimento (UPA) sudeste. É um consórcio importante que trará grandes resultados para Divinópolis e região”, afirmou.
O secretário municipal de Saúde de Divinópolis, David Maia, enfatizou durante entrevista que esta solenidade era um momento em que os prefeitos dos municípios dariam as mãos para pleitear junto ao governo do Estado e junto com o governo federal, esta implantação do Samu. “Hoje em dia não se trata mais de urgência e emergência em cidades separadamente. Belo Horizonte e Itaúna, por exemplo, tentaram criar uma rede de urgência e emergência sozinhas e não conseguiram, porque a rede hospitalar tem que ser compartilhada. A intenção deste projeto é compartilhar os recursos e esforços para aproveitarmos a capacidade instalada e fazer um atendimento de urgência e emergência mais adequada para a região”, declarou.
O presidente da comissão de saúde da casa legislativa de Divinópolis, Edimilson Andrade (PT), exemplificou que na hora em que uma pessoa estiver acidentada ela poderá ser levada dependendo do lugar em que estiver para uma cidade mais próxima que está inserida neste convênio. Para o vereador e presidente da comissão de saúde, o Samu é um serviço importante e resolverá até as questões psiquiátricas. “Em atendimentos às pessoas com crises psiquiátricas, por exemplo, o Samu vai ser fundamental, porque às vezes há um paciente com crise, o resgate não quer pegar a pessoa e nem a polícia, com medo de machucar o cidadão. Com a vinda do Samu teremos profissionais adequados para esta situação que medicará a pessoa no local sem precisar usar camisa de força”, esclareceu.
O deputado estadual Fabiano Tolentino (PPS), que também esteve presente no encontro, abordou que este consórcio é essencial para prestar o atendimento de emergência, e que ele fica feliz, por ter sido um pedido dele e demais autoridades para o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge, em uma visita que ele fez a Divinópolis no hospital público regional. “Hoje este pedido está sendo atendido. Quando o trabalho é conjunto as coisas acontecem”, declarou.
O promotor Dr. Ubiratan Domingues também abordou sobre a importância do consórcio e frisou que a partir de agora todos começaram a entender a saúde como uma política de estado, onde todos são responsáveis e compartilhar conjuntamente os ganhos e as perdas.
Antes da escolha da eleição da diretoria do CIS URG Oeste foi feita a votação do Estatuto do CIS URG Oeste Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada para gerenciamento de serviço de urgência e emergência. O Estatuto foi aprovado por unanimidade. Após a aprovação foi feito o processo eleitoral da diretoria.
Outra notícia dada para os gestores foi a aprovação para macro sudeste uma previsão de custo mensal da mesma ordem deste projeto no montante de 2 milhões 600 mil mensais, ou seja, foi aprovado que o estado vai contribuir com 39% do custo do Samu e os municípios vão dividir 15%. Para os gestores que estavam preocupados com a questão financeira isso significa que já existe um caminho a ser seguido. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.