segunda-feira, 29 de Outubro de 2012 03:49h Gazeta do Oeste

Estudo da UFMG diminui proliferação de células de câncer

Pesquisadores da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) desenvolveram uma forma de terapia gênica que "aprisiona" o cálcio do núcleo das células cancerosas, diminuindo a taxa de proliferação delas. A novidade, é que quando essa técnica é associada à radioterapia, ela aumenta a eficácia do tratamento com radiação, permitindo o uso de apenas metade da dosagem normalmente necessária e diminuindo a reincidência da doença.

Essa pesquisa, ainda em fase pré-clínica (ou seja, antes do teste em doentes humanos), tem o potencial para promover tratamentos mais efetivos para os cânceres de cabeça e pescoço.
A pesquisa foi publicada na revista científica de livre acesso "Journal of Cancer Sciences & Therapy".

"Foi surpreendente conseguir desenvolver um sistema de irradiação in vitro que se aproxima ao máximo do protocolo de radioterapia utilizado em pacientes", disse à reportagem a principal autora do estudo, a doutoranda Lídia Andrade.

Para Maria de Fátima Leite, orientadora de Lídia e coautora do estudo, "a grande descoberta dessa pesquisa é que o tamponamento do cálcio no núcleo da célula, associado à radioterapia, mostra-se mais eficiente do que a radioterapia ministrada isoladamente".

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.