quinta-feira, 31 de Outubro de 2013 11:15h

Experimento de cultivo de grama garante participação de alunos mineiros em feira nacional de Ciências

Estudantes da Escola Estadual Coronel Tonico Franco, em Ituiutaba, marcam presença na 19ª Ciência Jovem, evento realizado em Pernambuco até esta sexta-feira

Uma pesquisa cientifica com foco no cultivo de uma grama tradicional do município de Ituiutaba tem levado alunos da Escola Estadual Coronel Tonico Franco a vivenciarem experiências únicas. Responsáveis pelo estudo intitulado “Avaliação de crescimento de gramas esmeralda (Zoysi a japônica)”, os alunos, que já participaram da 14ª edição da UFMG Jovem, em Belo Horizonte, e da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), em São Paulo, defendem sua pesquisa durante esta semana na 19ª Ciência Jovem, em Olinda, Pernambuco.

Com 19 anos de história, a Ciência Jovem apresenta aos visitantes uma seleção qualificada da produção científica nas escolas brasileiras. Realizada anualmente pelo Espaço Ciência, é um grande evento de divulgação científica, com forte interação social e troca de conhecimentos. Neste ano, 320 projetos científicos de professores e alunos de todos os estados do Brasil são apresentados na feira.

Para o professor de Ciências e orientador da pesquisa, Pedro Gilberto Silva de Morais, participar da Feira é uma experiência única.  “Em termos pedagógicos, participar desta feira está sendo excelente. É a mais antiga feira do país e estamos tendo a oportunidade de conviver com alunos e professores de todas as partes do Brasil”, conta.

O estudo que está sendo apresentado é realizado na escola. Os alunos montaram quatro canteiros e em cada uma deles fizeram um tipo diferente de adubação. No primeiro, os alunos apenas regaram com água; no segundo, colocaram fertilizante químico; no terceiro, esterco; e, no quarto, colocaram húmus, que é um fertilizante natural. Ao longo da pesquisa, os estudantes perceberam que o crescimento da grama foi maior nos canteiros em que foi utilizado fertilizante químico e o húmus.

Para o aluno do 9º ano do ensino fundamental, Gustavo Rinaldi Ferreira, participar da Feira é uma oportunidade de trocar de experiências com estudantes de todo o país. “Aqui estão expostos uma quantidade muito grande de trabalhos. São abordados muitos temas diferenciados e estamos tendo a oportunidade de conhecer diferentes pesquisas”, afirma. O estudante fala ainda sobre a expectativa em participar da feira. “Estou muito confiante, porque o nosso trabalho é muito bom”, conclui.

Ciência Jovem

Em sua 19ª edição, a Ciência Jovem conta com o apoio financeiro do CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, Ministério da Educação, Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe), Secretaria de Ciência e Tecnologia e Secretaria de Educação do Governo de Pernambuco.

A Ciência Jovem tem como objetivo contribuir para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem em ciências, estimulando nos alunos e professores o interesse pela pesquisa e pela comunicação científica, além de promover a interação entre professores e alunos, escolas participantes e comunidades.

A premiação em cada categoria atribuirá troféus e medalhas de ouro, prata e bronze para os melhores trabalhos selecionados por uma equipe de avaliação com mais de 150 profissionais de diversas áreas. Os projetos com medalhas de ouro representarão a Ciência Jovem nas principais feiras de âmbito nacional (Febrace, Mostratec E SBPC Jovem) e internacional (Milset), com custos de viagem pagos.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.