sexta-feira, 20 de Julho de 2012 13:56h Mariana Gonçalves

Explosões e roubos a caixas eletrônicos crescem em MG

Em Divinópolis, vários pontos de comércio já foram alvo de bandidos. Melquíades Oliveira Parreiras, conta que a três meses fez a retirada do caixa eletrônico de seu estabelecimento.

Em poucos meses foram registrados 102 ataques a caixas eletrônicos em Minas Gerais. De acordo com uma pesquisa realizada por um jornal estadual. Com associações, sindicatos, empresas e proprietários de lojas, a maioria revelou que pedirá a retirada do equipamento de auto atendimento das lojas.  As explosões e roubos a caixas eletrônicos, estão frequentemente acontecendo.

 


Em Divinópolis, vários pontos de comércio já foram alvo de bandidos. Melquíades Oliveira Parreiras, conta que a três meses fez a retirada do caixa eletrônico de seu estabelecimento. “Nós sofremos com os assaltos no caixa da loja, e há uns três meses com furto no terminal da Caixa Econômica Federal (CEF), que nós tínhamos”, o comerciante ainda ressalta que o caixa era apenas para recebe contas, que por isso, o valor armazenado no caixa não era tão alto.

 


A pesquisa mostrou também que os bandidos escolhem assaltar este tipo de caixa, por nem sempre, serem vigiados. E geralmente guardam um montante considerável de dinheiro que não são recolhidos todos os dias. Muitas lojas na intenção de facilitar para o cliente, que nem sempre pode ir ao banco sacar o dinheiro, resolveram adotar essa forma de auto atendimento dos caixas eletrônicos. Mas, nos dias de hoje, esta medida está deixando muitas pessoas com medo. “Há uns 5 anos, eles (Caixa Econômica Federal) me ofereceram colocar o terminal. Eu resolvi colocar, porque na época era mais tranquilo. Não tinha essa onda de assaltos como esta tendo hoje”finaliza Melquíades Oliveira Parreiras.

 


Mas, ao contrário de muitos comerciantes que estão receosos em manter o caixa eletrônico em seu estabelecimento. O gerente de um supermercado em Divinópolis, conta que mesmo sabendo dos assaltos que vem acontecendo, resolveu instalar na loja um caixa, “muitas vezes o cliente chegava  aqui para fazer as compras e pedia pra gente colocar, porque tem casos que em falta de dinheiro para pagar a compra e tendo o caixa a pessoa já vai e pode tirar o dinheiro, sem precisar deixar uma coisa ou outra pra trás”,comenta Rafael Batista Júnior.

 


No Estado, são cerca de 600 empresas que utilizam esse serviço de Caixa Eletrônico, para arrombar os caixas, os bandidos muitas das vezes usam dinamites para “facilitar” o serviço. Vários comerciantes da cidade já pediram para que os órgãos responsáveis pelos caixas eletrônicos, façam a retirada do serviço.
A equipe de reportagem da Gazeta do Oeste, entrou em contato com a assessoria da Caixa Econômica Federal, para saber quantos registros de explosão a terminais da Caixa Econômica , foram registrados este ano. Mas de acordo com a assessora, essas informações não podem ser repassadas por envolver outros órgãos, como a Polícia Federal, e a própria diretoria o banco. A assessora informou que não poderia se pronunciar sobre esses acontecimentos.

 

BANCO CENTRAL

 


No ano passado o Banco Central criou uma medida para tentar evitar que os constantes assaltos a Caixas Eletrônicos continuassem acontecendo. Um dispositivo contendo um líquido rosa, foi colocado dentro dos equipamentos eletrônicos. Caso ele fosse arrombando, ou explodindo esse líquido mancharia todas as notas do caixa. Como alerta, todos os estabelecimentos que recebessem essas notas manchadas, saberiam que elas são de um caixa roubado. Mesmo com essa medida, o crescimento desse tipo de ocorrências tem aumentado nas delegacias do país.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.