quarta-feira, 10 de Dezembro de 2014 11:11h

Exportações do agronegócio mineiro somam US$ 7,4 bilhões até novembro

O valor é 8,5% superior ao registrado em igual período do ano passado; café participa com receita de US$ 3,7 bilhões

A receita das exportações mineiras do agronegócio, no acumulado de janeiro a novembro de 2014, somaram U$ 7,4 bilhões, valor 8,5% superior ao registrado em igual período do ano passado. Os dados são do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), e foram analisados pela Superintendência de Política e Economia Agrícola (Spea) da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

De acordo com o subsecretário do Agronegócio, Antônio Carlos Xavier da Gama, a cifra alcançada pelas vendas externas dos produtos agrícolas e pecuários mineiros equivale a 27,3% do total das exportações estaduais, que somaram US$ 27,1 bilhões nos onze meses avaliados. Ele destaca os resultados obtidos com a comercialização externa do café, que somou US$ 3,7 bilhões, um aumento de 29,2% em relação ao registrado em idêntico período de 2013.  O volume embarcado teve uma variação positiva de 12,9%, até alcançar 19,3 milhões de sacas.   

Antônio da Gama ressalta também o desempenho da carne suína de Minas no mercado internacional em 2014. “As exportações no período de janeiro a novembro somaram US$ 147,2 milhões, aumento de 14,5%, embora o volume dos embarques, da ordem de 38,9 mil toneladas, mostre uma redução de 10,8%.” Esses dados, segundo o subsecretário, mostram que a carne suína tem alcançado boa cotação no mercado internacional, “um reflexo da confiança dos compradores na qualidade do produto dos criatórios mineiros”.

Ele ainda observa que as exportações de carne bovina no acumulado de janeiro a novembro também apresentam resultados positivos: receita de US$ 410,9 milhões, aumento de 5,5% em relação ao valor registrado em idêntico período de 2013. Já o volume embarcado, de 89,7 mil toneladas, equivale a uma evolução inferior a 1% na comparação com o registrado no ano passado. “Portanto, neste segmento também se observa a valorização do produto no mercado externo”, finaliza Antônio da Gama.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.