quarta-feira, 3 de Junho de 2015 10:15h

Exposição apresenta o melhor da pecuária mineira em Belo Horizonte

Evento começou nesta terça-feira (2/6) e vai até o próximo domingo (7/6), com entrada gratuita, no Parque da Gameleira

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, João Cruz Reis Filho, destacou a importância do agronegócio para o estado durante a solenidade de abertura da 55ª Exposição Estadual Agropecuária, nesta terça-feira (2/6), no Parque de Exposições Bolivar de Andrade (Parque da Gameleira), em Belo Horizonte.
“A exposição mostra o que o estado tem de melhor, e o segmento pecuário tem um peso fundamental na composição do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio mineiro”, salienta o secretário. A estimativa do PIB do agronegócio mineiro, para este ano, é de aproximadamente R$ 165 bilhões. A pecuária representa 52,6% desse volume, totalizando R$ 86,6 bilhões.
Outros números também confirmam a força da pecuária mineira. O estado é líder na produção nacional de leite, com 9,3 bilhões de litros. Minas possui o segundo maior rebanho de bovinos com aproximadamente 24 milhões de animais. As exportações de carne bovina somaram 97 mil toneladas, no ano passado, o equivalente a US$ 446,2 milhões. O estado possui o maior plantel de equídeos, com cerca de 758 mil animais, e é berço das raças manga-larga marchador, campolina e jumento pêga.
Durante a solenidade, o secretário João Cruz defendeu a permanência do parque na região da Gameleira, ressaltando que sua presença é fundamental num local que é predominantemente urbano. “A exposição estadual agropecuária é muito mais que uma mostra de animais. É um evento simbólico da presença do meio rural na capital e o segmento não pode abrir mão disso”, declara.

Exposição agropecuária
A exposição estadual, um dos mais tradicionais eventos da agropecuária nacional, é uma realização do Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e sua vinculada Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), junto com o sistema da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg).
Esta edição reúne cerca de 1,4 mil animais de 12 raças, entre bovinos e equídeos, que participam de julgamentos e avaliação dos melhores exemplares de cada raça. O público estimado é de cerca de 20 mil pessoas.
Para o presidente da Faemg, Roberto Simões, a realização da exposição agropecuária, em parceria com o Governo de Minas Gerais, é uma prova inequívoca da coragem, da força e do empreendedorismo do setor. “Todas as vagas foram preenchidas e, mais uma vez, o agronegócio mostra a sua vocação mineira e nacional de investir recursos, gerar emprego e renda e movimentar a economia”, afirma.
Nesse ano serão realizados três leilões: pônei, campolina e jumento pêga. De acordo com o gerente do parque, Mendelssohn de Vasconcelos, serão colocados à venda 108 lotes de animais, com expectativa de faturamento em torno de R$ 1,4 milhão.

Novidades da exposição
Duas novas raças de bovinos participam, pela primeira vez, da exposição. A wagyu é uma raça de origem japonesa e sua carne, conhecida como kobe beef,  é considerada a mais cara do mundo. Possui gordura distribuída entre as fibras musculares, formando desenhos que são indicadores da qualidade do produto. Outras características são a maciez e benefícios à saúde, pois possui gordura semelhante à insaturada, rica em ômega 3, encontrada no salmão e azeite.
A raça senepol está em expansão no Brasil, principalmente em Minas Gerais. Uma das suas características é a rentabilidade ao produtor, com boa remuneração na venda das carcaças aos frigoríficos. Outra vantagem é o método de cobertura no campo. Um touro senepol cobre entre 50 e 60 vacas. A raça está presente há 15 anos no país.
Tradicionalmente presente nas exposições agropecuárias da Gameleira, a mini-fazenda trouxe como novidade para o público infantil a Árvore Falante do Reino Encantado.  Segundo a coordenadora Isabel Gonçalves, a árvore falante faz apresentações de noções básicas de preservação ambiental, como a preservação da água e desmatamento. “É uma maneira lúdica de passar conceitos importantes para as crianças”, explica. Outra atração é a Princesinha, menor mini vaca do país, com apenas 60 centímetros de altura.

 

Créditos: Éllida Alves/Seapa

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.