terça-feira, 2 de Agosto de 2016 16:52h Paulo Coelho

FAEMG apresenta propostas para reduzir violência no campo

O presidente da FAEMG, Roberto Simões, participou nessa segunda (1/8) de debate público realizado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais sobre a falta de segurança pública na área rural.

Em seu pronunciamento, destacou pontos que considera estratégicos para reverter o problema: “Precisamos de uma polícia especializada no campo e ampliação de efetivo. Precisamos de uma força policial mais orientada à nossa realidade, com serviço de inteligência, investigação e integração com os produtores”.
 
Também solicitou a reativação de postos e barreiras de fiscalização, coibindo o livre trânsito, as estradas, de cargas roubadas, e mais investimentos em telefonia móvel e acesso à internet na área rural, evitando o isolamento do produtor e sua família. Pediu também aos parlamentares e à população que acompanhem e pressionem o andamento de projetos de lei federais ligados ao tema, como o Projeto de Lei Federal 3.722/12, que altera o Estatuto do Desarmamento, ampliando a utilização de armas nas propriedades rurais, e o PL 6999/13, que aumenta a punição para crime de furto e receptação de gado, e só espera sanção do presidente.
 
“Sinto que falta vontade de resolver as coisas. Nunca tivemos no governo tanta gente tão conhecedora do nosso setor e problemas, mas as soluções não estão existindo. Precisamos destas reuniões constantes e monitoramento do que está acontecendo. Só mesmo juntos, é que conseguiremos melhorar a situação”, disse o presidente da FAEMG.
 
Roberto Simões questionou ainda a falta de recursos: “42% do PIB mineiro, em 2015, foi gerado na agropecuária. Será que não há dinheiro para proteger um setor que gera tanta renda e emprego? Ninguém pode nos socorrer?”.
 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.