quarta-feira, 10 de Abril de 2013 12:16h ALMG - Assessoria de imprensa

Família de vítima cobra mais segurança em ônibus

Pais de engenheiro assassinado enquanto viajava apresentaram propostas à Comissão de Segurança Pública

A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais recebeu, nesta terça-feira (9/4/13), sugestões para a elaboração de um projeto de lei que possa minimizar a ocorrência de crimes nos ônibus intermunicipais e interestaduais. As propostas foram apresentadas pelos pais do engenheiro João Gabriel Camargos, assassinado no dia 9 de março quando viajava de Poços de Caldas (Sul de Minas) para Belo Horizonte. O criminoso confesso, identificado como Fernando Oliveira Miguel, está preso no Paraná.

Entre as sugestões estão a obrigatoriedade de instalação de câmeras de monitoramento e botões de pânico nos ônibus, aparelhos detectores de metais nas rodoviárias e exigência de que o usuário apresente sua carteira de identidade com foto no momento da compra da passagem. A proposta foi passada às mãos do presidente da comissão, deputado João Leite (PSDB), pelos pais de João Gabriel, Luiza de Marilac Moreira Camargos e Júlio César Duarte de Paula, acompanhada por 10 mil assinaturas coletadas via internet.

Outra sugestão apresentada, desta vez pelo diretor de Fiscalização do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-MG), João Afonso Baeta Costa, foi a criação de uma força-tarefa envolvendo o órgão, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Civil, a Polícia Militar, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop). Entre outras iniciativas, esse grupo teria os objetivos de identificar trechos críticos para a segurança nas rodovias que cortam Minas Gerais e propor medidas preventivas e de combate à criminalidade.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.