quinta-feira, 23 de Junho de 2016 17:17h Atualizado em 23 de Junho de 2016 às 17:20h.

Famílias de Gesteira elegem neste sábado local onde serão reconstruídas casas e equipamentos públicos

As famílias de Gesteira, distrito de Barra Longa, elegem neste sábado, 25/6, o local onde serão reconstruídas as oito casas e os equipamentos públicos impactados pelo rompimento da barragem de Fundão, entre eles igreja, salão paroquial e campo de futebol

Assim como realizado em Bento Rodrigues e Paracatu, os moradores visitaram os terrenos e receberam cartilhas com informações sobre qualidade do solo, água, geologia, vegetação, cavidades e outras características. A Samarco priorizou o diálogo e a transparência desde o início do processo.

As duas áreas identificadas, denominadas de Macacos (7 hectares) e Sr. Clércio (1,1 hectares), estão localizadas próximas à quadra central do distrito, atendendo a pedido da comunidade.

Assim que o terreno for escolhido, terá início a discussão sobre o projeto arquitetônico e urbanístico, além dos padrões construtivos das moradias.

O próximo passo será o diálogo individual com as famílias para a definição de detalhes como local, estrutura e padrões de acabamento de cada residência. Uma vez fechados os acordos individuais, a expectativa é que os projetos de engenharia fiquem prontos até o fim do ano. A Samarco realizará a entrega do local, conforme assinado no Acordo com os governos federal, de Minas Gerais e do Espírito Santo, até 2019.

 

 

A VOTAÇÃO

A votação irá ocorrer em duas etapas. Na primeira, as famílias que perderam suas casas irão escolher o terreno para reconstrução dos imóveis. Na sequência, a comunidade, em conjunto, define o local onde serão reconstruídos os equipamentos públicos.

 

 

ACORDO

O processo de reconstrução em Gesteira é mais um dos compromissos assumidos pela Samarco para a recuperação socioambiental e socioeconômica das áreas impactadas pelo rompimento da barragem de Fundão. Ele consta do acordo assinado em pela Samarco, seus acionistas (Vale e BHP Billiton), os governos Federal, dos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de órgãos governamentais federais e estaduais,.

O documento, homologado pela Justiça no dia 5 de maio, prevê a criação de uma Fundação de direito privado que ficará responsável pela implantação de 41 programas (93% dos programas já estão em andamento), reunidos em duas principais frentes de trabalho, uma socioeconômica e outra socioambiental. Concentra, ainda, as ações emergenciais que vêm sendo adotadas pela Samarco desde novembro e propõe novos projetos. 

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.