quinta-feira, 16 de Agosto de 2012 16:19h Gazeta do Oeste

Festas de Agosto começam nesta quinta-feira em Montes Claros

A partir desta quinta-feira, as ruas de Montes Claros, Norte de Minas, ganham a movimentação das Festas de Agosto, uma das manifestações folclóricas mais antigas e ricas de Minas Gerais, realizadas há 173 anos. As festas têm como principais astros os catopês, marujos e caboclinhos, quase todos, homens simples - como pedreiros, carroceiros e pintores de parede- que fazem a alegria de moradores e visitantes, com suas vestimentas e “cocás” de fitas coloridas na cabeça.

Ao todo, são cerca de 300 dançantes, divididos em seis grupos, sendo três de catopês (dois dedicados a Nossa Senhora do Rosário e outro devoto de São Benedito), dois de marujos e outro de caboclinhos. Os catopês, que usam roupas brancas, equivalem aos grupos de congados (de origem africana). Os marujos (de origem portuguesa) desfilam com roupas nas cores azul e vermelho. Já os caboclinhos representam os indígenas, com vestimentas no tom vermelho. Junto com as festas de cunho religioso, até domingo, também acontece o Festival Folclórico de Montes Claros, organizado pela prefeitura, com programação de shows artísticos e culturais.

Nesta quinta-feira às 9hs, as Festas de Agosto serão abertas com o Reinado de Nossa Senhora do Rosário, que, seguindo a tradição, sairá da praça do Automóvel Clube, percorrendo as ruas do Centro da cidade, em direção à Igrejinha do Rosário, na avenida Coronel Prates. O “rei” e “rainha” do cortejo serão filhos de servidores da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), escolhidos por sorteio. Amanhã, no mesmo horário, acontecerá o desfile dedicado a São Benedito. Na manhã de sábado, sairá o cortejo do Império do Divino Espírito Santo. Domingo,pela manhã, será realizado o Encontro Estadual de Ternos de Congado. Á tarde, as festas serão encerradas com o desfile que sairá da Praça da Matriz rumo à Igrejinha do Rosário, com participação dos reinados de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito e o Império do Divino, tendo ainda as presenças de grupos folclóricos de diversas cidades mineiras.

As Festas de Agosto tiveram como incentivador o médico e historiador Hermes de Paula (já falecido). “Ele realmente era um apaixonado pelas festas. Recordo que, todos os anos, ele abria a nossa casa e oferecia um grande almoço para os catopês, após os cortejos”, recorda Virgínia de Paula. Ela conta que “Doutor Hermes” chegou a levar um grupo da “marujada” de Montes Claros no Festival de Folclore de Brasília, em 1965, para “mostrar ao pais a riqueza do folclore regional de Montes Claros”.

Virgínia de Paula salienta que praticamente toda a familia de Hermes de Paula (morto em 1983, aos 72 anos) é admiradora das tradições folclóricas do Norte de Minas. “Eu acho que as Festas de Agosto de Montes Claros representam uma das manifestações folclóricas mais ricas que existem no Brasil”, opina Virgínia.

A pesquisadora e historiadora Raquel Mendonça, da Secretaria Municipal de Cultua de Montes Claros, destaca que a festa folclórica é “a maior e mais importante manifestação cultural, tradicional e popular da cidade”. Raquel frisa que o diferencial da festa é o envolvimento e devoção dos catopês, marujos e caboclinhos, “com suas belas e ricas danças, músicas e características regionais”. Ainda segundo a pesquisadora, as Festas de Agosto de Montes Claros foram reconhecidas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como “dignas de serem registradas como bem material e imatrerial da União, devido às suas grandes riqueza e beleza cultural”. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.