sexta-feira, 6 de Junho de 2014 09:14h

Forças de Segurança de Minas Gerais reforçam ações e estratégias para a Copa do Mundo

Amplo planejamento, ações de inteligência e investimentos em equipamentos fizeram parte da preparação do Estado para garantir a segurança do torneio

Cerca de 60 mil policiais militares, civis e bombeiros vão atuar durante a Copa do Mundo de 2014 em Minas Gerais. Todo o efetivo da Defesa Social do Estado estará empenhado para garantir a segurança e o bem estar dos cidadãos mineiros e turistas que visitarão o Estado. Por meio de uma ampla articulação, o Governo de Minas conseguiu que nenhum integrante das Forças de Segurança esteja de férias durante o período do torneio.

Além dos investimentos em segurança pública, como a aquisição de equipamentos de alta tecnologia e a renovação das frotas das corporações, um grande planejamento de inteligência e integração das Forças de Segurança do Estado foi preparado para o trabalho durante a Copa do Mundo. Para isso, foi criado um Grupo de Proteção Pública – que envolve órgãos de segurança estaduais, municipais e federais – para coordenar as ações.

Ao todo, mais de 30 instituições e órgãos de segurança trabalharão de forma conjunta no Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), analisando imagens de 1.378 câmeras em Belo Horizonte e região metropolitana, otimizando recursos, serviços e ações para garantir a segurança durante a Copa do Mundo. As ações da Secretaria de Estado de Defesa Social e das Polícias Militar e Civil serão pautadas na preservação da integridade física das pessoas, garantia de mobilidade e de liberação das vias públicas.

“Vamos ter também, sobrevoando a capital, helicópteros que contarão com sistema de rádio e sistema de interconectividade com essa central para que qualquer fato que possa acontecer tenha a imediata ação a Polícia Militar”, garante o governador Alberto Pinto Coelho.

O governador ressaltou a preparação de Minas para receber este grande evento. “Esperamos cerca de 150 mil turistas estrangeiros. Para isso, o Governo do Estado, em sintonia fina com a Prefeitura de Belo Horizonte, desenvolveu uma série de atividades ao longo do tempo”, destacou. A capacitação dos profissionais, segundo Alberto Pinto Coelho, foi um dos grandes destaques desse processo. “Todos os policiais que vão ter esse contato próximo com os turistas, por exemplo, estão qualificados do ponto de vista dos idiomas, podendo fazer essa interlocução”, disse.

Segurança reforçada nas ruas

Assim como Belo Horizonte, sede da Copa do Mundo, as cidades mineiras que vão receber as delegações das seleções na preparação para o torneio também receberão atenção especial na área de segurança. Apenas na capital, Sete Lagoas e Vespasiano, 12.185 mil policiais militares vão atuar para garantir a segurança nesses locais considerados estratégicos. Outros 1.750 bombeiros e 2.200 policiais civis também estarão voltados para garantir a segurança dos cidadãos mineiros, torcedores e turistas. O regime especial para a Copa do Mundo é do dia 23 de maio até 18 de julho.

Além do reforço do policiamento da capital e dos efetivos do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar, o Batalhão Copa – criado em 2013 para atuar durante a Copa das Confederações – foi expandido e irá contar com 2.860 policiais. Ele irá atuar, principalmente, nos pontos turísticos de Belo Horizonte e região metropolitana. O grupo recebeu qualificação específica para atuar no torneio, como curso de línguas e turismo, servindo, inclusive, de modelo para outros Estados.

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Márcio Sant’Ana, reforçou que as estratégias da corporação para o evento vão garantir o reforço do policiamento nas ruas não somente nas áreas estratégicas, mas em todas as regiões do Estado. “A Polícia Militar realizou todo um planejamento operacional para o evento. Com investimentos significativos em equipamentos, renovação da frota e modernização das comunicações. Estamos totalmente preparados para esse grande desafio. E tudo isso ficará como um grande legado para o Estado”, destacou Sant’Ana.

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil também criaram, em 2013, comandos específicos para atuarem durante o torneio. Na Polícia Civil, a Assessoria Extraordinária para a Copa do Mundo é responsável pela integração das diversas áreas da corporação na definição do planejamento operacional para o evento. Já a Delegacia de Polícia de Eventos recebeu, em janeiro, 17 novas viaturas. Cidades turísticas, como Ouro Preto, Tiradentes e Diamantina, também receberam novos veículos.

A corporação também se preparou para atender a demanda em possíveis manifestações. Os casos de condução de envolvidos em episódios criminosos, durante os dias de jogos da Copa do Mundo no Mineirão, serão encaminhados para a 6ª Delegacia Regional Noroeste. No local haverá uma estrutura especial, com representantes da Promotoria, Defensoria Pública, do Comissariado da Infância e Juventude e da OAB, para agilizar o registro e encaminhamento de todos os Registros de Eventos de Defesa Social (REDS) e as providências decorrentes.

Auxiliando as equipes já utilizadas para atendimento às rotinas operacionais do Corpo de Bombeiros, alunos dos cursos de formação e militares das áreas administrativas ficarão à disposição do Batalhão Extraordinário para a Copa (Becopa). Eles vão atuar em conjunto nas atividades de prevenção à incêndios, acidentes e pânico, além de atendimentos de urgência e emergência.

Capacitação do profissional como foco

Minas Gerais também investiu na qualificação dos profissionais da Força de Segurança. Somente em 2013, cerca de 1.600 militares do Corpo de Bombeiros foram treinados em salvamentos terrestres e aquáticos, combate à incêndios e línguas estrangeiras, entre outros. Diversos simulados de grande impacto – como no estádio do Mineirão e no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins – foram realizados em parceria com os demais órgãos de segurança. Entre eles estavam ações com produtos perigosos e contraterrorismo.

Grupos de Bombeiros Militares especializados em operações de busca e resgate de vítimas em desmoronamentos, além de atendimentos táticos de urgência e emergência, foram capacitados e serão empregados preventivamente no Mineirão e na Fan Fest, no Expominas.  Os agentes fizeram uma avaliação criteriosa da estrutura do Mineirão, testando saídas de emergência e procedimentos em caso de incêndio e pânico para que o tempo máximo de evacuação seja de 8 minutos e 30 segundos.  “As ações de prevenção foram potencializadas para garantir que equipes, agentes de segurança e a população possam participar de todos os eventos em um ambiente seguro e saibam quais procedimentos podem adotar para eliminar ou  minimizar os riscos de um acidente ou incidente”, reforça o assessor de comunicação do Corpo de Bombeiros Militar, tenente coronel  Edgard Estevo.

Cerca de 40 mil policiais militares também passaram por cerca de 6.500 cursos preparatórios, como o uso de instrumentos de menor potencial ofensivo, gerenciamento de crises, policiamento em praças desportivas e locais de grande aglomeração, turismo e idiomas. Um simulador de tiros também foi adquirido pela corporação. Ele reproduz as diversas situações encontradas pelas polícias nas ruas, onde o policial irá treinar a qualidade do tiro. Minas também investiu na qualificação dos profissionais que atuam no Grupo Interinstitucional de Proteção Pública, sendo pioneiro na realização de simulados de Defesa Química, Biológica, Radiológica, Nuclear e Explosiva (DQBRNE).

Já a Polícia Civil ofereceu mais de duas mil vagas para profissionais em cursos que tiveram como foco a Copa do Mundo. Entre as disciplinas estavam a investigação de crime organizado, tráfico de pessoas, idiomas e atendimento ao público. Um dos destaques da preparação foi o curso “Moedas Falsas”, ministrado pelo Serviço Secreto dos Estados Unidos (EUA) e pelo FBI, a Polícia Federal norte-americana.

“Para garantir a segurança da população durante a Copa do Mundo, a chefia da Polícia Civil determinou mobilização total na capital, nas cidades turísticas, nas sedes de delegações estrangeiras e em todo o Estado. Um evento como esse exige atenção especial para a circulação de estrangeiros que virão a trabalho ou a passeio, mas não podemos nos descuidar do cotidiano dos mineiros e das ocorrências que não terão ligação direta com os jogos”, afirmou o chefe da Polícia Civil, delegado-geral Oliveira Santiago Maciel.

As Forças de Segurança do Estado também promoveram um workshop para jornalistas sobre segurança pública e a cobertura da imprensa em grandes eventos, orientando sobre segurança, com dicas de autoproteção aos profissionais, e esclarecendo sobre as etapas de investigação da Polícia Civil, as ações da Polícia Militar e o trabalho das equipes de saúde e dos Bombeiros no atendimento a vítimas de acidentes.

Uma cartilha bilíngue com informações de segurança e saúde para os turistas terá um importante papel de apoio na socialização e convívio durante o evento. No material haverá informações sobre as atribuições de cada profissional das forças de segurança, assim como os telefones e a identificação dos uniformes, viaturas utilizadas. Também serão repassadas dicas relacionadas à alimentação, acidentes, consumo de bebidas alcoólicas, carteira de habilitação, festas de ruas e táxis, entre outras.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.